“Ainda há muito a fazer na saúde feminina”

0
380
Miguel Coelho, general manager Portugal

A investigação própria continua a ser um dos pilares da empresa?

A Procare Health é uma empresa biotecnológica que investiga os seus próprios produtos. Esta é a primeira prioridade da empresa, que investe uma percentagem significativa do seu turnover em Investigação & Desenvolvimento.Contudo, a nossa visão passa por desenvolver soluções terapêuticas, mas também por explorar oportunidades que tenham por objetivo melhorar a saúde da Mulher. Nesse sentido, a possibilidade de estabelecer parcerias com empresas que partilhem o mesmo rigor científico e comportamento ético é algo que a empresa considera. Para tal, estamos recetivos a parcerias locais, que são da minha área de responsabilidade, mas temos um departamento global que tem por objetivo identificar novos projetos.

Quais os últimos avanços científicos – e em que áreas – em que a Procare Health está envolvida?

Na Procare Health os objetivos dos nossos projetos de investigação visam preencher lacunas terapêuticas, desenvolver alternativas que permitam tratar a doença de modo mais eficaz, mas também nos dedicamos a desenvolver produtos que apresentem um perfil claramente melhorado face à oferta existente.Assim, apostamos fortemente na forma de tratar e prevenir as lesões do colo do útero causadas pelo Vírus Papiloma Humano (HPV), responsável pela ainda elevada incidência de cancro do colo do útero. Esta é uma área em que apresentamos uma mudança no paradigma do tratamento. Lançámos um produto com este perfil e a sua recetividade pela classe médica tem sido uma forte motivação para continuarmos a investigar.Existem, no entanto, novos projetos, que serão as futuras novidades, mas neste momento a prioridade está nos produtos que já comercializamos e que queremos que cheguem a mais doentes.

Como vê o mercado feminino português?

Procuro estar atento ao que me rodeia e é com enorme orgulho que vejo quem é a Mulher de Hoje. Se considerarmos que há apenas 46 anos vivíamos num regime de ditadura, sem liberdade de expressão, com as escassas oportunidades que as mulheres tinham e o papel que lhes era pedido na sociedade, penso que percorremos um caminho de enorme sucesso num tempo longo, mas ao mesmo tempo relativamente curto.Há poucos dias assinalou-se o Dia da Mulher. Estando hoje ligado à Mulher numa perspetiva profissional, tenho pensado muito sobre a igualdade ou a falta dela. Sou filho de pais que fizeram carreira. A minha mãe sempre trabalhou e cresceu profissionalmente. Foi ela que me ensinou a lutar por aquilo em que acreditamos e que a melhor forma de luta é aquela que permite conquistas sem comprar guerras. Isso só é possível quando feito com muita inteligência, algo que sempre admirei nela. Entristece-me ver as mulheres colocarem-se em bicos de pés para chegar mais alto em vez de caminharem com a segurança das suas competências. Numa vertente comportamental, elas dão cartas e nós, homens, temos de correr para não perder o momentum que hoje é gerado por mulheres nos centros de decisão.

Como consegue a ProCare Health estar na vanguarda da procura que existe por parte do público feminino?

A Procare Health nasceu para desenvolver produtos para a Mulher, numa estratégia que designamos por “Evidence Based Natural Healthcare”, onde investigamos terapêuticas de base natural ou síntese não química. O conceito de produtos naturais está a ganhar um espaço importante em áreas como a Saúde ou Alimentação. Não é novo o conceito de tratamentos à base de substâncias naturais. No entanto, a mulher, enquanto consumidora, no caso de produtos de saúde, preocupa-se em perceber que está a recorrer a tratamentos eficazes, que tratem, de facto, a sua doença. Por outro lado, os produtos da Procare Health são prescritos, recomendados pelos médicos ginecologistas. O grande fator que nos diferencia passa pelo processo de desenvolvimento e investigação clínica. Desenvolvemos todo o processo de avaliação de medicamentos, desde os testes in vitro até à fase de avaliação em ambiente de vida real. Estes estudos, que levam uma fatia considerável do nosso volume de negócios, fornecem a evidência clínica que médicos e doentes necessitam para, com segurança, prescreverem os tratamentos às doentes que deles necessitam.

Como conjugam a procura de medicamentos eficazes para combater e prevenir determinados problemas femininos, mas tendo em consideração o lado não hormonal do medicamento ou a sua origem natural?

Trabalhar com produtos naturais obriga a uma exaustiva pesquisa bibliográfica que permita a lógica de um determinado efeito obtido a partir dessa substância. E temos tratamentos milenares. Existe toda uma dinâmica de desenvolvimento de formulações que transformam essas substâncias em tratamentos. O processo é longo, mas a investigação farmacêutica é desafiante. Recordo que são abandonados cerca de 100 projetos para conseguir isolar uma molécula que será, dentro de 10 anos, uma terapêutica inovadora. Na verdade, essa molécula será o meio de rentabilizar todo o trabalho dos cientistas ao longo desse tempo.

Como se desenha o futuro da Procare Health Portugal?

Estamos a atravessar um momento em que os planos de futuro são postos em causa. Vivemos num mundo que está parado, aguardando que se encontre uma forma de conviver com mais um habitante deste globo. Mas o futuro é sempre encarado como um conjunto de oportunidades de fazer coisas novas, melhores, recorrendo a métodos mais eficazes. Esse é o percurso dos homens ao longo dos anos. A Procare Health vai continuar a fazer o que sabe, e muito há por fazer para melhorar a Saúde da Mulher. Não voltaremos costas ao desenvolvimento de novas formas de combater a doença. Somos e seremos sempre identificados como um parceiro na Women’s Health, mas o futuro é sempre desafiante. Estamos disponíveis para fazer outras coisas, alocando para tal o nosso conhecimento e experiência. Disponho em Portugal, de uma equipa altamente experiente, com uma preparação técnica que nos permite transmitir aos profissionais de Saúde, mas também aos doentes, todo o conhecimento sobre a sua doença e a forma como pode ser tratada. Essa equipa é, porventura, o melhor asset da nossa organização.Miguel CoelhoGeneral Manager Portugalwww.procarehealth.comSAÚDE FEMININA»

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here