“As mulheres são resilientes e corajosas”

CEO, empreendedora, professora universitária, consultora, palestrante e mulher. Alexandra Seixas é uma líder que reconhece ser incapaz que fazer apenas uma atividade. O seu ímpeto de criar obriga-a a investir em si e nos outros e a sua veia empreendedora já deu frutos: o Grupo EdenVet é disso exemplo. Uma entrevista feita sob vários ângulos, porque assim é Alexandra Seixas...uma mulher de muitas paixões.

0
422
Alexandra Seixas, CEO e empreendedora

É CEO, empreendedora, professora universitária, consultora, investigadora, palestrante e autora. Como é possível coordenar todos estes aspetos da vida e garantir tempo para a família?

A gestão do meu dia a dia tem uma matriz bem definida, que reuniu vários anos de reflexão e preparação à volta de um conjunto de competências-chave que otimizam o meu tempo de modo a atingir os objetivos propostos numa lista pré-definida de prioridades. Uso quatro bandeiras: tenho uma rotina diária sólida e consistente; domino muitas ferramentas testadas na sua efetividade, sobretudos no meu desenvolvimento pessoal e hard & soft skills; encontro o foco e permaneço no mesmo, independentemente das distrações do mundo; estimulo a minha mente criativa em modo On & Off.

O desenvolvimento pessoal e profissional em várias áreas, com vários mentores e com diferentes sistemas, permite uma maior amplitude de consciência e um empoderamento direcionado ao somatório de resultados, que é sempre maior que a soma das partes. Criei, desta forma, uma base de rotina eficiente e eficaz, que é consistente com o meu modo de vida. Somos uma família monoparental, que trabalha no intervalo que sobra entre as 16 às 23h, pois este tempo é 100% íntimo, 200% presente, 300% amoroso, numa esfera criada com o mantra “Mamã e as Meninas”.

Formou-se em Medicina Veterinária e especializou-se em Cirurgia, pois era uma paixão de criança. 20 anos depois dessa decisão, conseguiu inclusivamente criar um franchising de clínicas veterinárias. Como foi o seu percurso e como o aplica agora aos olhos do empreendedorismo?

Sou licenciada em Medicina Veterinária, com especialidade em pequenos animais, pela Universidade da Extremadura – Faculdade de Cáceres. A minha motivação sempre foi a cirurgia e a capacidade de resolver problemas graves de forma consistente e imediata, evitando a dor e sofrimento o quanto antes, assim me fosse permitido. Avancei para o diploma pela Universidade Católica, em Gestão e Marketing, e várias pós-graduações nacionais e internacionais, tanto a nível de Medicina Veterinária como em Gestão, Comunicação e Marketing Digital. Mas não é isto que me define como profissional. O que me levou até onde estou foi a curiosidade e o empenho em relacionar sistemas e processos. A ideia de avançar até um determinado ponto, e depois perder o horizonte, criava em mim uma serie de inseguranças e fraquezas. Decidi sair ao mundo e reequipar-me com as ferramentas necessárias para o meu desenvolvimento pessoal e profissional. Encontrei várias áreas de interesse, às quais dedico fragmentos do meu tempo, devidamente identificadas. Tudo começa com o Grupo EdenVet, em 2001, e numa escalada cheia de percalços aparecem novos degraus no empreendedorismo: fundei o primeiro franchising de Centros Veterinários, com uma rede atual de 10 CAMV (Centro de Atendimento Médico Veterinário), no atendimento de primeira linha e com elevada proximidade a todas as pessoas – LowCost Vet- marca nacional e europeia; fundei a Vetzania – hospital veterinário dos pequeninos – que leva a todas as crianças os cuidados a ter com um animal de estimação; fundei a Academia A.S. – Assertividade & Sucesso, que em cursos modulares dá formação e consultoria num sistema de método demonstrativo e bootcamp a unidades de negócio; sou palestrante, autora e docente universitária, nas disciplinas de Gestão/Marketing/Comunicação, assim como disciplinas na área da inovação e invenção, sendo que a temática de soft skills é aplicada em todas as minhas disciplinas; na área da restauração e eventos formativos, com o Eat & Thinking Club, faço a consultoria para empresários de pequenas e médias empresas, com temas que são escaláveis ao longo do tempo; em outubro de 2019 foi-me atribuída, em exclusivo, a Patente de Invenção Internacional, para um equipamento “Ginásio- Animal” utilizado por animais de companhia (cão, gato, cavalo) com uma componente lúdica e outra clínica pois, sendo modular, tem anexos, desde realidade virtual e aromaterapia à recolha de todos os dados biomédicos, para recuperação integrada em casos de fisioterapia ou desenvolvimento de grupos musculares. Neste momento, estou numa procura ativa de investidores para entregar o produto ao mundo.

Como avalia a posição da mulher, atualmente, no mercado de trabalho, sobretudo no que respeita à liderança?

Considero que cada um de nós tem um conjunto único de pontos fortes, fraquezas e sensibilidades, eu chamo a Zona Nuclear ou Génio Interior. É única, diferenciadora, sustentável e potenciadora. A diferenciação é sempre pessoal, temos uma combinação idiossincrática de estratégias com base nas nossas experiências, exigências, hábitos e preferências, tanto a nível pessoal como profissional. Somos o que pensamos e o que pensamos define o nosso comportamento que, por sua vez, é avaliado como o nosso caráter. Como mulher, as tarefas do quotidiano ainda são muito alargadas, na tentativa diária de fazer frente a todos os desafios e conseguir atingir a nota de “Excelente “quando se entrega o trabalho final. Esta sociedade ainda exige que a mulher cumpra em todas as frentes, em casa como doméstica, mãe de família, esposa de marido, filha de pais e tia de sobrinhos, amiga de amigos, e possa passear o cão no jardim com os vizinhos. Exige que no local de trabalho se supere e não permita que assuntos familiares e rotinas existentes se sobreponham ao prazo de entrega de projetos e resultados excecionais nos trabalhos realizados. Se for possível fazer tudo a 100%, embora o exigível seja 120%, estaremos seguramente duas velocidades acima de qualquer homem na sua existência quotidiana.

A liderança feminina é diferente da masculina?

Quando se tem uma mente criativa, (e todos a têm), basta chamar por ela, o processo de liderança torna-se parte do percurso. Gosto de ensinar aos meus alunos e formandos que a liderança não é um processo hierárquico, é um tema do terreno. É no dia-a-dia que se faz a diferença para o hoje e para o amanhã. Até porque dizer sim é decidir e dizer não também. Envolver-me é decidir e não me envolver também é decidir sendo sempre, no limite, a responsável pelas ocorrências. Quando imputas a ti próprio o comando da tua vida, como personagem principal, o fator liderança é ferramenta de trabalho. Agora basta estudar a mesma, otimizar e saber como a usar de forma correta em cada situação. No entanto, dedico algum tempo e trabalho ao Empoderamento Feminino, porque é uma luta desigual entre os direitos e acessos devido à diferença de género. Este conceito foi criado para definir ações e iniciativas que possam levar as mulheres a uma posição justa no mercado de trabalho, na comunidade, em espaços de debate, ou até no seu agregado familiar. Deriva do termo em inglês “empowerment”, porque diz respeito à capacidade do indivíduo, neste caso da mulher, de realizar por sua conta própria as mudanças necessárias para o seu desenvolvimento pessoal e profissional.

Que mensagem gostaria de deixar às mulheres que, como a Alexandra, não conseguem estar paradas e querem sempre fazer mais da vida?

Um Objetivo é para mim um propósito, uma inclinação para o resultado. Depois de identificar de forma clara o meu Grande Objetivo, divido o mesmo numa série de tarefas mais pequenas e realizáveis, são metas individuais para o atingir, e trabalho para o somatório de tarefas.Devemos diferenciar a produtividade do efeito de satisfação pessoal de nos sentirmos ocupados. Não é esse o foco. Não é a ocupação de 24h do nosso dia que nos torna eficazes: não será seguramente esse o método para obter os melhores resultados.Se estou aqui, fruto de um qualquer acaso, fruto de uma qualquer queda, fruto de tantas perdas é também porque sou uma sobrevivente, se optei por sorrir, abraçar, caminhar e amar são meros efeitos de pequenas ações ou tarefas do quotidiano, na tentativa de que o somatório da minha humilde vivência seja o Grande Objetivo de ter criado duas meninas muito felizes, abraçadas pela vida, pela emoção, pelas conquistas pessoais, pela alegria de não querer nada de diferente, pois este caminho foi, sem dúvida, a perfeição de um Objetivo Grandioso. As mulheres são desta casta. Resilientes, valentes e corajosas.

www.alexandraseixas.com

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here