Empresas de moldes com conceito 360º

Com mais de 30 anos de experiência na área dos moldes, Lino Ferreira criou a Pearlmaster. Sediada em Leiria há doze anos, trabalha na procura das melhores soluções para moldes em vários setores. Depois de ser reconhecida como PME Líder e Excelência, viu o negócio expandir e até abriu uma empresa para complementar o seu trabalho, a Pearlizplas. O CEO das empresas falou-nos sobre o seu progresso e quais os setores que mais procuram os seus serviços

0
695
Lino Ferreira, diretor

Localizada num importante polo da indústria dos moldes – Leiria e Marinha Grande – encontramos a Pearlmaster. Depois de décadas de experiência, em 2008 Lino Ferreira decidiu abrir esta empresa que se dedica à produção de moldes de injeção em plástico e outras soluções para a indústria do plástico, idealizando-os em projetos com o objetivo de realizar o melhor serviço para os seus clientes. A empresa foi crescendo e, em 10 anos, atualizou-se para o seu terceiro espaço.

Pelo caminho o sucesso foi inevitável e a empresa alcançou o título de PME Líder em 2015 e, no ano seguinte, PME Excelência. No entanto, a necessidade de um negócio que proporcionasse o máximo conforto e confiança aos clientes e lhes pudesse garantir um serviço completo, com direito a ensaios e produções em massa dos seus moldes, era grande. Foi com esse objetivo, o de complementar o que já se fazia na Pearlmaster, que nasceu, há três anos, a Pearlizplas.

Num edifício paralelo à Pearlmaster, a Pearlizplas é uma empresa que permite fazer os ensaios dos moldes dos seus clientes, após os moldes produzidos, bem como produções em grandes quantidades. Assim, o diretor-geral vê na junção das duas empresas a possibilidade de funcionar num conceito 360 o para os seus clientes, que podem deixar todo o projeto nas mãos destas empresas e obter o produto final, pronto a vender: “A Pearlmaster consegue ter uma melhor oferta, ser mais completa, com a Pearlizplas”, confessou Lino Ferreira.

A par de uma relação sólida com os clientes, através de um acompanhamento contínuo, e uma experiência de muitos anos na produção de moldes para as mais variadas indústrias e países, confiança, flexibilidade, procura diária em exceder as expectativas dos seus clientes e parceria com os seus fornecedores são algumas das qualidades que o diretor-geral confessa que a empresa privilegia e que fazem a diferença para que escolham as suas empresas para a produção de moldes e fornecimentos de peças de plástico.

“trabalhamos para exceder as expectativas dos nossos clientes”

Atualmente, a empresa conta com 35 colaboradores e grande parte da produção dedica-se ao setor automóvel (75%), seguido do setor doméstico (20%). Além da aposta no mercado nacional, atuam também além-fronteiras, acabando por ter uma presença global, que teve Inglaterra como porta de entrada e depois acabou por se alargar também a outros países. Hoje exporta 90% da sua faturação e para mais de 10 países.


No que ao futuro diz respeito, há dois desafios que Lino Ferreira confessa ter. Por um lado, a Ecologia, pois a questão do plástico está agora a ser mais abordada do que nunca. No entanto, acredita que a qualidade e consequente durabilidade das peças para as quais produz os moldes, não justificam grande preocupação, pois não produz artigos de desgaste imediato, mas sim que “duram 10 ou 15 anos”. Contudo, e por ser uma preocupação local e global, a “procura de tecnologias de injeção e materiais plásticos mais verdes é um desafio constante das empresas”. Por outro lado, a competitividade de preços, mas acredita que se diferencia pela “qualidade do trabalho” e, por isso, consegue competir com os grandes mercados, como a China, pois dada a “complexidade dos moldes, as empresas têm medo de os mandar fazer a esses países e acabam por encomendá-los em Portugal”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here