“O mercado de luxo vai continuar a crescer”

Maria João Gonçalves desenvolve a sua atividade enquanto consultora imobiliária na Remax há mais de oito anos e é uma profissional certificada em imóveis de luxo, um mercado que considera estar a crescer. Acredita que a existência de uma relação de confiança entre cliente e consultor é fundamental e diz-se apaixonada pela sua atividade.

0
333
Maria João Gonçalves, consultora imobiliária e chefe de equipa

Conta com mais de oito anos de experiência no setor imobiliário. Esta foi sempre a área em que quis trabalhar?

Sempre estive ligada à área comercial e, na altura em que procurava uma nova oportunidade profissional, que aconteceu ser em plena crise, acabei por ir a uma entrevista na Remax For.Ever, onde logo me identifiquei com o modelo de negócio e com as pessoas. Descobri uma atividade profissional apaixonante, o que me tem feito evoluir pessoal e profissionalmente e querer sempre mais e melhor para os meus clientes.

Como define o seu modo de trabalhar o produto e os clientes?

Procuro aconselhar o melhor possível os clientes, tanto na compra como na venda. Acredito que antes do negócio vem sempre a relação de confiança entre cliente e consultor. Só criando uma base de confiança mútua se pode chegar a bom porto. Tenho muitas situações de clientes que compram ou vendem o seu imóvel comigo e que, posteriormente, referenciam o meu trabalho a amigos ou familiares, bem como clientes antigos que, ao fim de alguns anos, me voltam a contactar para novos negócios. Esta é a melhor validação que posso ter. Quando um cliente me entrega um imóvel para vender, está a confiar-me o seu bem material mais precioso, pelo que deposito todas as minhas energias e ferramentas disponíveis, com o objetivo de conseguir o melhor negócio possível.

É uma consultora certificada em imóveis de luxo. Como caracteriza este segmento de mercado?

Considero que é um segmento de mercado que tem crescido imenso e que vai crescer ainda mais. Há uns anos não havia muita oferta no segmento de luxo no nosso país, mas com toda a reabilitação urbana que houve, principalmente em Lisboa, a situação alterou-se e hoje temos bastantes opções para quem procura um imóvel de luxo. Tratase de um mercado bastante exigente e exclusivo, pelo que a promoção deste tipo de imóvel é sempre feita através da Remax Collection e por consultores certificados, como eu.

Estando o grupo a celebrar os seus 20 anos, que análise faz do seu percurso profissional, particularmente enquanto consultora Remax?

Te m sido um percurso intenso de aprendizagem e crescimento, tanto a nível pessoal como profissional. Todo um conjunto de questões importantes, que passam pela experiência de anos no setor, o contacto com diversas áreas profissionais, a formação, a interação com os colegas e com a rede em geral, e a partilha genuína de experiências de negócio resultam num conhecimento mais profundo de todas as vertentes relacionadas com a atividade, que vão desde a relação com o cliente, ao marketing até ao puro trabalho comercial e de negociação. De salientar que a Remax trabalha, eficazmente, em rede e promove a partilha de negócio entre colegas, o que contribui para aumentar a probabilidade de venda de um imóvel.

É chefe da sua própria equipa. Que responsabilidades acrescidas isso traz a um consultor?

Quando se cria uma equipa torna-se necessário dar um acompanhamento contínuo a quem está connosco e focar num caminho e objetivo. Para mim é importante garantir que se sentem motivados, acompanhados e acima de tudo que crescem pessoal e profissionalmente comigo.

Com o período pandémico, quais as dificuldades que reconhece como sendo as mais difíceis de ultrapassar?

A maior dificuldade foi durante o confinamento e a ausência quase total de visitas durante esse período. Agora é tempo de nos adaptarmos a uma nova realidade. Como resultado da pandemia, aperfeiçoámos novas formas de mostrar os imóveis aos clientes, desde as visitas virtuais até às visitas por videochamada, onde o cliente interage em tempo real connosco e com o imóvel, e partilha as suas dúvidas. Não obstante, continuamos também a fazer visitas presenciais, assegurando todas as medidas de segurança e proteção.

Como se motiva – a si e à sua equipa – numa altura em que todos estavam confinados?

Confesso que foi complicado trabalhar a partir de casa com a alteração de rotinas, mas hoje tudo é facilitado pela tecnologia. Na realidade nunca parámos, mesmo estando confinados, o que nos deu alguma motivação. Aproveitámos para organizar e otimizar o nosso backoffice e sobretudo manter o contacto com os nossos clientes.

Acredita que a formação e a capacidade de aprimorar o saber profissional pode, em certa medida, ser decisiva para o desenvolvimento dos negócios, atualmente?

Concordo a 100%. No meu caso fico sempre muito motivada quando faço alguma formação porque sei que, para além de ampliar o meu conhecimento, vou prestar um melhor serviço ao cliente. A constante formação que nos é dada, tanto a nível da Remax Portugal, como na For.Ever, contribui para que assim seja.

Como caracterizaria este período de confinamento, no que respeita à concretização de negócios?

Fechámos uma série de negócios que já estavam em curso. Durante o confinamento, muitas pessoas sentiram necessidade de procurar novas habitações, pelo que fomos contactados por vários clientes no sentido de procurar casas maiores ou com varandas ou até mesmo com espaços exteriores.

Como vê a evolução do mercado e quais as suas expectativas para o futuro?

Penso que tudo dependerá da evolução da pandemia. Não obstante, a única coisa que tenho por certo é que vamos ter de ser mais persistentes, resilientes e ter de nos munir de todas as ferramentas possíveis para que possamos ajudar o mercado. Acredito numa estabilização do mercado que esteve em constante subida nos últimos anos, até porque assistimos a uma grande valorização dos imóveis nesse período.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here