“Os seguros são evolutivos”

A Nobis nasceu em 1996, pela mão de quatro sócios, entre os quais Carlos Cruz, que decidiram investir na sua própria agência de mediação de seguros. Mais de duas décadas volvidas, o balanço é positivo e o futuro apresenta-se promissor.

0
245
Carlos Cruz, sócio-fundador

“A Nobis começou por ser um sonho”, inicia Carlos Cruz, um dos quatro jovens que, logo nos anos 70, enquanto iniciavam a sua atividade laboral, se atreveram a sonhar. O sonho concretizou-se em 1996, quando A Social, casa por onde todos haviam passado, e a quem todos deviam o seu conhecimento até à data, vem a ser integrada no grupo alemão Allianz. É aqui que nasce a aposta na mediação: “Criámos a Nobis à semelhança daquilo que conhecíamos”, explica Carlos Cruz, dotando a mesma, logo à partida, de todos os sistemas informáticos disponíveis à época, sem nunca perder a noção daquilo que era a sua carteira de clientes, beneficiando “sempre o cliente particular, que é mais fiel, mais estável”, embora Carlos Cruz admita que seria impossível viver sem as empresas.

A empresa atravessou a crise, mas Carlos Cruz explica que “a Nobis teve sempre uma grande consciência do espaço que ocupava e essa consciência refletia-se sempre na gestão”.De olhos postos no futuro, a Nobis evoluiu e especializou-se, apostando fortemente em nichos de mercado, pois “os seguros são evolutivos e adaptativos”.

Com o futuro veio também a digitalização, não só dos mercados, mas de toda a vida humana. Carlos Cruz não tem problemas em afirmar que “a digitalização é importantíssima para agilizar as coisas, para desmaterializar papel mas nunca para substituir a mediação”, dado que “o toque humano é insubstituível”. É justamente esta preocupação com as relações humanas, aliada a décadas de experiência profissional e formação técnica dos seus fundadores que nutre a Nobis de uma credibilidade que Carlos Cruz aponta como “uma questão de educação financeira”, e que faz com que a empresa conte com uma base de dados de cerca de 23 000 clientes, dos quais 7 500 a 10 000 ativos.

Quando inquirido sobre o verdadeiro papel da mediação, Carlos Cruz assegura que “a base principal daquilo que é a mediação é esclarecer, transmitir conhecimento e adaptar o produto” ao consumidor. Desta forma, se o importante é a adaptação do produto ao consumidor, a verdade é que na Nobis opções não faltam. Nas palavras do próprio: “A Nobis vende tudo, e gosta muito!” É exatamente neste processo evolutivo, sempre com um olhar empreendedor a partir do seu escritório em Belém que Carlos Cruz vê o mundo e antecipa “um grande futuro para o mundo dos seguros, incluindo obrigatoriamente a mediação”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here