“Precisamos de pessoas sem medo de arriscar”

Isabel Reis é diretora-geral da DELL Technologies Portugal desde fevereiro e reconhece que sempre teve oportunidades de crescimento nas empresas onde trabalhou. A DELL aposta no género feminino e pretende ter 40% de mulheres nos cargos de liderança, em 2030.

0
691
Isabel Reis, diretora-geral

Os meus parabéns pela nova função que desempenha na DELL. Durante a sua evolução enquanto profissional, o objetivo era alcançar um cargo de liderança?

Muito obrigada. Na verdade, nunca tive como objetivo de carreira ter um cargo de liderança. Estive sempre disponível para aprender e, como gosto muito do que faço, sempre dei mais do que me pediam. Houve momentos em que mudei de emprego para aceitar novos desafios e depois tive sempre sorte de trabalhar em empresas onde o talento e a competência eram valorizados. Assumi o primeiro cargo de liderança aos 31 anos.

Considera que as oportunidades surgem da mesma forma para mulheres e homens?

A partir de um determinado cargo, acho que diminuem as oportunidades para as mulheres e são os homens que surgem em maior número para cargos de administração, mas também acho que existe uma maior consciência disso e uma preocupação por parte das empresas e das entidades governamentais em alterar esse paradigma. Ainda temos um longo caminho a percorrer, mas notam-se melhorias consideráveis.

A liderança feminina é diferente da masculina?

Não será muito diferente, quando temos de analisar as melhores opções para os indivíduos, empresa e clientes. O que muda é o estilo e a forma, que se prende com questões de personalidade, estilo próprio e questões genéticas. Os dois estilos complementam-se e trazem muito equilíbrio à companhia.

A afirmação feminina no mercado de trabalho está a acontecer? Qual o exemplo da DELL, neste caso?

É notório o crescente número de mulheres em setores de atividade onde predominam os homens, como a aviação, trabalho agrícola, condução de veículos pesados e o IT não é uma exceção. A DELL olha com esperança para o crescimento do número de mulheres neste setor e não só apoia como tem uma postura proativa na contratação de mulheres. O objetivo é chegar a 2030 com 50% da força de trabalho feminina e 40%dos cargos de liderança entregues a mulheres.

Que características devem possuir os líderes desta nova década?

Devem conseguir motivar e manter uma equipa produtiva, numa realidade cada vez mais virtual, terem muita capacidade de adaptação e transformação para um mundo cada vez mais dinâmico e onde as prioridades mudam rapidamente. Estar disponível para estar presente e entender perfeitamente o ecossistema que o rodeia. Gostar de aprender, pois é cada vez mais importante estarmos atualizados, tanto no que podemos oferecer aos nossos clientes,como naquilo que o mercado nos pede.

Cerca de 35% das mulheres são responsáveis pelo início de novos negócios em Portugal. Elas serão as líderes, no futuro?

Espero pelo menos que elas façam parte de um quadro de liderança mais homogéneo e que as qualidades empreendedoras destas mulheres sejam enaltecidas e aproveitadas, porque precisamos de pessoas criativas, com ideias e sem medo de arriscar.





DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here