Resposta multidisciplinar para idosos

Rui Francisco é o CEO da Miminho aos Avós, e responsável pela expansão da marca pelo país, em regime de franchising. Uma ideia que nasceu de uma necessidade pessoal e que se tornou numa empresa que presta cuidados ao domicílio, 24 horas por dia, todos os dias do ano, com o objetivo de assegurar o bem-estar biopsicossocial dos idosos.

0
511
Rui Francisco, CEO e franchisador

A Miminho aos Avós nasceu de uma necessidade pessoal, de acordo com Rui Francisco. Um familiar idoso adoeceu e precisava de alguns cuidados que não eram fáceis de encontrar: “Não existia no concelho de Ourém nenhuma empresa licenciada no Serviço de Apoio Domiciliário (S.A.D.) Pretendíamos um profissional que, além das necessidades básicas, fizesse estimulação física e cognitiva, mas não encontrei. Encontrar fraldas também se revelou difícil – ninguém me sabia indicar qual o produto adaptado à necessidade concreta da pessoa”.

Por isso mesmo, decidiu ele mesmo criar essa resposta multidisciplinar: “Prestamos serviços 365 dias por ano, 24 horas por dia, cobrindo necessidades que vão desde os cuidados de higiene, conforto pessoal e de imagem, higiene habitacional, confeção de alimentos no domicílio e apoio nas refeições, respeitando as dietas com prescrição médica, tratamento da roupa, dinamização de atividades lúdicorecreativas, socioculturais, desportivas, intelectuais/formativas, espirituais e/ou religiosas, ocupacionais, socialização, designadamente animação, lazer e cultura, aquisição de bens e géneros alimentícios, pagamento de serviços, deslocação, apoio psicossocial e outros que contribuam para promover a autonomia do idoso”.

Os centros geriátricos da Miminho aos Avós dispõem de consultas no domicílio de várias especialidades, além de uma loja que disponibiliza todos os produtos e equipamentos adequados ao cuidado dos idosos: “Disponibilizamos todos os equipamentos que concorrem para o bem-estar na área da saúde, seja calçado adaptado, ajudas técnicas, artigos ortopédicos, consumíveis, equipamentos de enfermagem, médica, diagnóstico e fisioterapia”.

A Marca conta já com 13 centros geriátricos espalhados pelo país, em regime de franchising, que Rui Francisco considera ser uma boa opção: “A nossa área de intervenção necessita de uma relação de proximidade e o franchising permite isso. Toda a atividade é alvo de formação prévia, acompanhada de Manuais e Checklist de autorregulamentação. Periodicamente, a Marca acompanha presencialmente as Unidades e valida os procedimentos. Através de uma plataforma informática comum, são verificados os processos”.

O CEO diz que ainda há muito para fazer na área social: “Existe um progresso significativo na sensibilização e nas ações concretas sobre a questão do envelhecimento, mas falta o Estado reconhecer a sua incapacidade de resposta e implementar um sistema de Acordos com o setor privado. Faltam respostas no que respeita a atividades socioculturais, lúdico-recreativas, ocupacionais e socialização. Ainda existe um longo caminho a percorrer”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here