30 anos a trabalhar o imobiliário do Sotavento algarvio

Julie Russell e Kaja Decoz fundaram a Russell & Decoz Real Estate, Lda há 30 anos. Sendo uma das agências imobiliárias mais antigas do país, e da região algarvia, onde opera particularmente na zona do Sotavento, esta empresa já conhece bem as oscilações do mercado e acompanha, também, a necessidade de formação dos consultores, que se tem vindo a verificar, de forma mais intensa, desde que a legislação existente para o setor foi suprimida. João Soeiro, consultor técnico na Russell & Decoz caracteriza a região onde trabalham e destaca os temas da formação e da importância do investimento estrangeiro numa região como o Este algarvio.

0
280

A Russell & Decoz está há 30 anos a operar no mercado algarvio e trabalha, de forma particular, a zona Este do Algarve. Que características distintivas apresenta esta região, que a faz ter especial interesse imobiliário?

A Russell & Decoz começou a trabalhar no mercado imobiliário em 1992 sempre com o foco na zona Este do Algarve, também conhecida por Sotavento Algarvio. Comparando com o Algarve Centro e Oeste, a parte do Este sempre foi a mais natural e com menos impacto turístico. Uma zona mais preservada, com várias áreas protegidas, das quais salientamos a Ria Formosa. Sendo a equipa da Russell & Decoz apaixonada pela natureza e pelas pessoas, foi sempre a nossa missão procurar a melhor solução para os nossos clientes dentro destes padrões de qualidade: viver em harmonia com o ambiente que nos rodeia e aproveitar as
características mais importantes desta zona algarvia – qualidade de vida, beleza natural e sem dúvida a simpatia das pessoas. Nestes 30 anos, temos vindo a observar uma evolução a bom ritmo da oferta de propriedades, cada vez com mais qualidade.

Como caracteriza o mercado imobiliário, na região em que atua? Que tipo de imóveis é mais procurado?

O mercado imobiliário na região do Algarve é típico de uma área litoral com muita procura turística. Na nossa área em particular a oferta é relativamente pequena no que diz respeito a novos imóveis, pois a nova construção é moderada. O nosso portfolio inclui uma grande percentagem de moradias unifamiliares de diferentes tipologias e características. Temos uma pequena fatia de apartamentos e algumas propriedades de investimento, onde preparamos uma estratégia de venda para demonstrar aos investidores como poderão tirar o melhor partido da propriedade.

Atualmente, o preço das casas continua a subir e a “bolha imobiliária” é um cenário cada vez mais discutido. Parece-lhe real que tal venha a suceder?

Numa área onde há pouca oferta é sempre de esperar um aumento de preços constante quando a procura é muita, o que tem sido o caso desde2021. O que procuramos fazer na Russell & Decoz é oferecer ao nosso cliente vendedor uma análise correta, com bases qualitativas e quantitativas do valor real da propriedade, de forma que o negócio se concretize da melhor maneira. No entanto, com a enorme concorrência que enfrentamos, há uma grande tendência por parte de alguns terceiros de propostas sem qualquer base lógica, o que nos deixa sempre em situação delicada. A atual situação que vivemos, com a crise na Ucrânia, está a afetar toda a Europa. O aumento dos juros e a inflação em nada ajudam ao crescimento do mercado. Na nossa região, uma “bolha imobiliária” é sempre possível, mas os fatores já referidos podem atrasar ou mesmo anular a mesma.

Como definiria a importância do investimento estrangeiro na parte Este da região do Algarve?

Extremamente importante. O nosso mercado é essencialmente estrangeiro, certamente mais de 90% de diversos pontos na Europa. Os nossos clientes portugueses são muito poucos e o seu target são normalmente propriedades de mais baixo custo, sendo os clientes estrangeiros que compram as maiores propriedades. Este facto contribui de maneira muito direta para a para a valorização das propriedades, pois o vendedor tem conhecimento da maior capacidade de investimento do mercado estrangeiro.

Como caracterizaria, atualmente, o tipo de cliente que vos procura?

Normalmente, são casais ou indivíduos que procuram ou casa de férias ou então uma casa para viver permanentemente, sempre na região do Algarve. Poucos são os casais jovens, sendo mais casais numa faixa etária de mais de 40 anos. Várias nacionalidades, como já referimos, por isso diferentes expectativas no que vão encontrar. Muitas vezes há uma enorme diferença entre a procura e a oferta. Normalmente, as pessoas chegam com expectativas em termos qualitativos que não encontram na zona. Reconhecemos padrões ao longo destes anos e tentamos utilizar esse know-how para ajudar a simplificar processos
e decisões, fornecendo informação detalhada e personalizada a cada caso.

Nos últimos tempos existem muitos novos consultores sem qualquer experiência na área que já são responsáveis por transações imobiliárias. Está a ser formulada uma nova legislação, para impedir que tal aconteça. Como se posiciona a Russell & Decoz relativamente à questão da formação dos seus colaboradores e à importância da regulamentação desta área de atividade?

As associações esforçam-se por oferecer cursos simples e práticos, mas é um facto que atualmente há uma grande afluência à profissão, não havendo imposições quanto a uma base de conhecimento concreto. Outro aspeto importante são algumas empresas que nomeiam comerciais sem terem sequer um espaço físico. São freelancers que arriscam tudo para conseguir uma venda sem que, para isso, tenham que investir em formação. Na Russell & Decoz a formação tem sido uma constante ao longo dos anos e temos uma equipa formada em diferentes áreas, que garante aos nossos clientes uma fiabilidade elevada na informação fornecida. Cremos que a formação é muito importante e concordamos que o IMPIC deverá prosseguir com a proposta de aumento de qualidade e regulação das empresas imobiliárias.

Tendo em consideração os 30 anos de atividade da Russell & Decoz no setor imobiliário, como se desenha o futuro? Quais os objetivos que é suposto atingir em 2022, que nos possa revelar?

A Russell & Decoz já tem duas gerações dos seus fundadores a trabalhar na empresa, por isso
contamos dar continuidade à empresa por muitos mais anos. Temos uma base muito sólida de clientes que nos têm procurado e recomendado ao longo destes anos. Por outro lado, temos acompanhado a evolução tecnológica e tem havido uma constante atualização de hardware e software a todos os níveis. Estamos a dinamizar constantemente a nossa presença nas redes sociais e tiramos partido dessas ferramentas, ao mesmo tempo aumentando a literacia digital de todos na equipa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here