“Apesar da sua importância, não respeitamos a Água”

A Aguatec conta com seis anos de atividade no mercado do tratamento, movimento e acumulação de fluídos. Luís Rodrigues, o diretor da empresa, deixa clara a importância do serviço de filtragem e tratamento da água, para fazer face à escassez cada vez maior deste recurso e relembra a necessidade, cada vez mais iminente, de criar na população o respeito necessário por um bem único. Para as empresas, sobretudo setores que utilizam água de uma forma massiva, seria importante, nas palavras de Luís Rodrigues, a criação de apoios e incentivos à poupança de água.

0
453

Uma das áreas que mais se destaca, no vosso portfolio, é o tratamento e filtragem da água. Num mundo com as dificuldades climáticas a acentuarem-se cada vez mais, qual a importância que atribui a este tipo de serviço, para particulares e empresas?

Atribuo a máxima importância, na medida em que é, sem dúvida, uma área de negócio em que acreditamos vir a ter o maior crescimento nos anos futuros. Dadas as dificuldades climáticas mencionadas, acreditamos que só com acumulação, tratamento e reutilização da água poderemos minimizar o problema.

Quais as formas de levar a cabo o serviço de tratamento da água, para particulares e indústrias, e como pode este serviço ajudar a poupar e reutilizar água, para consumo ou outras atividades?

Existem equipamentos e métodos disponíveis no mercado, que são também comercializados pela nossa empresa, para o tratamento da água em todas as fases. Julgo que o foco deverá estar, cada vez mais, voltado para o reaproveitamento das águas das chuva, conjugadas com as de captação, assim como o reaproveitamento das águas cinzas e mesmo as águas residuais. Como se nota, sem dúvida que há muito para fazer.

Que outros serviços se destacam, no portfolio da Aguatec, e que importa salientar na medida em que podem ser exemplos de uma melhor utilização da água?

A Aguatec tem também soluções hidráulicas para captação, movimentação e pressurização, doméstica e industrial. Temos também uma equipa técnica operacional e pronta a responder com rapidez a todos os problemas que se nos deparam no dia a dia.

“Continuamos a dar
pouca importância
à poupança e até
mesmo à reutilização.
Julgo que, para alcançarmos
um respeito por este recurso,
será preciso
mudar mentalidades.(…)
Talvez um programa
de apoio e incentivo,
do género do que foi feito
com os sistemas solares,
fosse importante”.

A importância da tecnologia é cada vez maior e o setor da água não é exceção. Como se posiciona a Aguatec para continuar a levar aos clientes o que de mais avançado existe a nível de equipamentos, de forma a garantir uma boa conservação, proteção, armazenagem, filtragem e tratamento da água?

A Aguatec comercializa artigos de fábricas que contam com um desenvolvimento permanente nesta área, algumas das quais contam mesmo com patentes de relevo a nível mundial, como é exemplo o sistema de tratamento de águas residuais Ecoflo, com limpeza à base de fragmentos de casca de coco, sem meios mecânicos e com um aproveitamento igual ou superior às ETAR’s tradicionais, de cerca de 98%.

Portuga l é uma país muito afetado, ultimamente, por situações de seca, algumas delas severas. Como vê, enquanto player deste mercado, a importância e o “respeito” atribuído à água, no que concerne à sua proteção e à preocupação que existe em tentar evitar qualquer desperdício deste recurso, nas mais diversas tarefas a realizar – por parte da indústria, dos serviços públicos ou mesmo dos particulares?

Portugal tem um longo caminho a percorrer nesse campo. Continuamos a dar pouca importância à poupança e até mesmo à reutilização. Julgo que, para alcançarmos um respeito por este recurso, será preciso mudar mentalidades. O aumento do preço da água pode ser fator determinante, assim como será importante que as entidades reguladoras da construção venham a obrigar a implementar sistemas de acumulação e reutilização de água. Para isso, e dados os custos dos sistemas, talvez um programa de apoio e incentivo, do género do que
foi feito com os sistemas solares, fosse importante.

A longo prazo, com que problemas se deparará o país, caso não haja quaisquer alterações na forma como gerimos este recurso?

Facilmente poderemos ter de optar por racionamentos, que podem ser dramáticos. Talvez a única alternativa viável venha a ser a dessalinização da água do mar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here