Cars & Cars: sinónimo de qualidade e profissionalismo

A Cars & Cars nasceu há 18 anos, afirmando-se enquanto um projeto diferente dos demais. Com uma equipa coesa e profissional, este concessionário multimarcas de automóveis assume que tem todo o cuidado com os veículos que recebe e comercializa. De olhos postos no futuro, o CEO, André Pimpão, realça a o crescimento da empresa e o novo projeto, que está para breve.

0
47
André Pimpão (ao centro), CEO

Como caracteriza o posicionamento da empresa no mercado e o que considera que lhe dá esse ar diferente dos restantes players do setor?

A Cars & Cars sempre foi uma referência do setor. Talvez porque sempre tivemos especial atenção à forma como nos apresentamos, comunicamos e, o mais importante, o facto de sermos rigorosos na qualidade do serviço que prestamos e nos carros que vendemos.

Fazem uma referência evidente à equipa, que consideram “família”. Esta forma de estar também se aplica com os clientes? Acredita que esta proximidade pode ser uma mais-valia?

Sem dúvida. Felizmente, temos sorte de trabalhar num ambiente de confraternização, cumplicidade e respeito, o que faz cultivar a amizade que temos entre nós. Esta forma de estar acaba por transmitir uma energia positiva a quem nos rodeia, clientes e parceiros. Naturalmente, surgem clientes que se tornam amigos e melhores vendedores. É muito comum termos clientes recomendados por outros clientes.

No que respeita ao mercado, qual o processo para que um carro seja admitido pela Cars & Cars?

Nós somos aquilo que vendemos. Como tal, temos extremo cuidado no processo de aquisição dos nossos carros. Desde logo, não recebemos carros importados, salvo raras exceções. Também evitamos ao máximo carros com mais de seis anos. Valorizamos muito o histórico, os extras, a origem e o estado geral. Todos os nossos carros são inspecionados pelos colegas do pré-venda, mediante um exigente relatório interno e consequente check-up geral.

“É muito comum termos clientes recomendados por outros clientes”

Considerando o período de pandemia que acabamos de atravessar, e tendo em mente que as vendas de automóveis diminuíram consideravelmente, como foi a experiência da Cars & Cars neste período?

Sinceramente pensámos que iria ser pior. Adaptámo-nos bem à circunstância e, em 2020, apenas baixamos 5% a faturação face a 2019. Tendo em conta que, em 2020, estivemos encerrados sete semanas, acabou por ser positivo. Em 2021, mesmo com o encerramento de oito semanas, já superámos a faturação de 2019 há algum tempo, o que nos faz sentir bastante realizados.

Quando foi possível reabrir a atividade, como se reinventou a Cars & Cars, para fazer face às dificuldades criadas pela proibição de circulação e pelo distanciamento social?

Acho que caímos um pouco no exagero. Além de termos iniciado o confinamento antes do devido, quando reabrimos não permitimos a entrada de mais do que uma pessoa nos escritórios, não fizemos test-drive e o contacto com clientes era o mais distante e seguro possível, o que dificultou a concretização de alguns negócios. No entanto, não estamos arrependidos, pois a saúde e bem-estar da nossa equipa é mais importante do que qualquer negócio. Esta postura acabou por nos favorecer.

A Cars & Cars foi distinguida, em 2020, pela Scoring, enquanto Top PME 5%. Quão importante é esta distinção para a empresa, os colaboradores e os clientes?

É uma boa pergunta. Como representante da empresa, é sempre bom sentir que estamos no caminho certo. Inclusive, acabámos de saber que a distinção nos foi novamente atribuída, este ano, 2021. No que respeita aos colaboradores, acredito que seja motivante, pois transmite segurança, estabilidade e acaba por ser um estímulo para continuarem no seu melhor. Os clientes, creio que a maioria não estará a par da distinção, mas quem estiver talvez se sinta mais confortável no momento de decisão.

“Nós somos aquilo que vendemos”

Como foi possível à Cars & Cars alcançar esta distinção?

A Scoring analisou as melhores PME de Portugal, em termos de desempenho e solidez financeira, tendo nós ficado nas melhores 5% destas empresas. Como foi possível fazermos parte deste restrito grupo? Em 2003, começámos numa pequena loja, com meia dúzia de carros e financeiramente dependentes de crédito cedido pela banca. Isso motivou que, desde sempre, tivéssemos que trabalhar arduamente e com o maior profissionalismo possível. O nosso empenho fez que, ao longo dos anos, fossemos crescendo na diversidade do stock e na solidez financeira da empresa. Passados 18 anos é este o resultado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here