Ortogonal: uma Engenharia assertiva

A ORTOGONAL nasceu para prestar um serviço de engenharia e gestão transversal a todas as áreas da construção civil. É possível desenvolver o projeto, construir o edifício/infraestrutura e ainda gerir o projeto, após a sua entrada em funcionamento. Com o foco num serviço de engenharia completo e integrado, os objetivos são os mesmos do início – prestar um serviço de qualidade e diferenciador, como destaca o CEO, o engenheiro Hugo Rocha.

1
1179

A ORTOGONAL está há nove anos no mercado e, ao longo desse tempo, já foram criadas mais duas empresas – a GROUNDMOTION e a NEWDILIGENCE. Como avaliam este posicionamento no mercado e a que atribui esta capacidade de crescimento?

Sendo a ORTOGONAL uma empresa prestadora de serviços de engenharia jovem, irreverente e inconformada tem, desde muito cedo, como um dos seus principais objetivos, prestar aos seus clientes um serviço cada vez mais completo e diferenciador. Na senda direta desta visão,
surgem, então, a GROUNDMOTION e a NEWDILIGENCE. Esta atitude e forma de estar tem sido, felizmente, reconhecida pelo mercado, que nos tem honrado com a confiança de cada vez mais clientes e, assim, potenciado o nosso crescimento sustentado.

Quais os serviços que cada uma destas empresas desenvolve? Qual a importância da GROUNDMOTION e da NEWDILIGENCE para complementar o serviço da ORTOGONAL?

A GROUNDMOTION é um gabinete de projeto e consultoria altamente especializado na
engenharia de estruturas, possuindo ainda valências muito apuradas na área da sísmica.
Adicionalmente, presta serviços de projeto de uma forma absolutamente transversal, desde a
arquitetura até todo o universo das especialidades de engenharia. A NEWDILIGENCE presta
essencialmente serviços de consultoria, caraterização, inspeção e diagnóstico do estado
de conservação de edifícios. Estas duas empresas são, como já referido anteriormente, fulcrais para aquela que é a nossa visão de prestar um serviço de engenharia integrado e completo.

Atualmente, já se afirmam como um parceiro comercial para o investimento em território nacional. Como desenvolve esta nova área de atividade?

Graças ao “know how” acumulado e à sua dimensão nacional, com equipas e projetos no
Norte, Centro, Sul e ilhas, a ORTOGONAL é um parceiro natural para qualquer investidor cujo
investimento implique construção ou reabilitação. Ao escolher a ORTOGONAL o investidor
encontrará um parceiro capaz de gerir qualquer etapa de um processo de construção, desde a
conceção e projeto, passando pelo licenciamento, procurement, obra e a gestão de manutenção, após entrada em funcionamento.

Desenvolvem parte dos vossos projetos na construção de infraestruturas comerciais, para grandes marcas nacionais. Quais os projetos que, pelas suas características particulares, gostariam de destacar?

É um orgulho e simultaneamente uma responsabilidade acrescida, sermos merecedores da confiança de alguns dos maiores “players” da área do retalho nacional que, pela sua
dimensão, especificidades e exigências, muito têm contribuído para o nosso crescimento e constante evolução. Destaco no retalho alimentar, por exemplo, a nossa participação na
construção de mais de 35 novas lojas Continente, do grupo Sonae, bem como na remodelação parcial ou integral de mais de 250 outras lojas do mesmo grupo. No domínio dos centros comerciais, destaco a nossa participação na construção do Centro Comercial Alegro de Setúbal e na recente ampliação do Centro Comercial Norte Shopping. No que diz respeito ao domínio da logística destaco a ampliação do Entreposto Logístico do grupo Os Mosqueteiros, em Alcanena e, mais recentemente, a construção da Base Logística do grupo ALDI na Moita.

No que respeita a projetos de edificação para moradias/outros edifícios, quais os mais icónicos já desenvolvidos pela ORTOGONAL?

Destaco, por exemplo, um edifício emblemático na Costa da Guia, em Cascais – o Centro de Estudos Judaicos Avner Cohen Casa Chabad. Destaco também, pela sua dimensão e relevância, a Quinta Marques Gomes – um projeto de habitação em desenvolvimento em Vila Nova de Gaia, que consiste na construção de mais de uma centena de novas moradias e mais
de uma dezena de edifícios de habitação multifamiliar.

Empreendimento Quinta Marques-Gomes

As pessoas são, atualmente, o maior ativo das empresas. Na ORTOGONAL, a formação de cada uma delas é diversificada e isso constitui uma mais-valia para a empresa. Todavia, é cada vez mais difícil encontrar mão de obra qualificada, incluindo na área da Engenharia. Como se lida com esta realidade e com a dificuldade de encontrar recursos humanos com qualificações mais específicas?

As pessoas são de facto o nosso maior ativo. São também elas o fator decisivo e diferenciador da ORTOGONAL no mercado. Sem elas, nada do que falámos até agora teria sido possível.
Não fosse a competência, esforço, dedicação, resiliência, inteligência e espírito de entreajuda de toda a nossa equipa e o difícil não pareceria tão fácil aos nossos clientes. Contudo, é
também um facto que o nosso crescimento aliado à atual falta de oferta de recursos humanos nos tem colocado muitos desafios ao nível da gestão e recrutamento dos recursos humanos. A forma que temos encontrado para ultrapassar esses desafios tem passado por criar condições para que quem cá está se sinta bem, queira continuar e inclusivamente funcione como embaixador da empresa junto do mercado de trabalho. Além disso, mantemos uma procura ativa e permanente, por todas as vias disponíveis, por pessoas qualificadas que defendam e partilhem dos nossos valores.

Para o futuro, quais os objetivos a atingir, por parte da ORTOGONAL?

Os objetivos são os mesmos que tínhamos no primeiro dia, ou seja, prestar um serviço de engenharia e gestão cada vez mais completo, integrado e diferenciador, num mercado cada vez mais exigente e desafiante. Esperamos que esta forma de estar nos traga cada vez mais desafios, mais reconhecimento, mais oportunidades e mais pessoas para esta nossa “família”.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here