Soluções que combinam proteção, segurança e tecnologia

A Tepsol conta com 28 anos de trabalho, num mercado em constante evolução e desenvolvimento como é o das soluções para grades, persianas, estores, portas e cortinas de vidro, entre outros elementos, como material para jardim – pérgulas, tetos de vidro, toldos. À Valor Magazine, a diretora, Lúcia Nunes, salientou a constante aposta da empresa no desenvolvimento de novos produtos, o que lhe vale uma presença na vanguarda do setor.

0
286
Lúcia Nunes, diretora

A Tepsol foi criada em 1993. Como avalia a evolução do mercado desde então?

Nestas últimas três décadas, houve grandes mudanças tecnológicas e da sociedade. A arquitetura moderna assimilou novos conceitos, tudo se tornou mais funcional e minimalista, e passou a valorizar-se muito mais o conforto e a eficiência energética. A oferta de produtos e soluções cresceu exponencialmente, muitas vezes excedendo até a procura. O perfil dos consumidores também mudou radicalmente, estão muito bem informados, tem acesso a bens vindos de qualquer parte do mundo, enquanto que nos anos 90 se entrava num espaço para conhecer o produto e procurar informações do mesmo, atualmente quando se entra num espaço já se fez toda uma pesquisa ao nível mundial do que o mercado oferece. Tudo isto tornou o mercado extremamente competitivo.

Estamos em constante desenvolvimento, tendo em conta as necessidades e a perspetiva dos clientes

“A nossa motivação são os seus sonhos”. Como se mantém a Tepsol sempre na vanguarda, na procura de novas soluções e serviços?

Estamos sempre em constante desenvolvimento, tendo em conta as necessidades e a perspetiva dos clientes, imergindo nas suas dores e problemas e conjuntamente alcançamos a solução, procurando obter todos os benefícios possíveis, em termos visuais, de conforto e eficiência. Esta filosofia permitiu-nos alcançar este ano o prémio Scoring PME Top 5%, que nos fortalece como equipa e que oferecemos aos nossos clientes, que são a razão da nossa existência.

Atualmente, já existem soluções técnicas avançadas que permitem conjugar a proteção com a beleza e o estilo clássico. Que tipo de soluções existem que vão além de ser apenas um dispositivo de proteção?

O progresso vertiginoso da chegada da quarta revolução industrial, que mistura técnicas de produção de vanguarda com sistemas inteligentes, veio refazer formas de vida, ideias, hábitos e costumes. Hoje praticamente todos os produtos são motorizados e automatizados, o que por si só já é um sistema de segurança, sejam portas, portões, grades de segurança, estores, persianas, cortinas, tetos de vidro, pérgulas bioclimáticas. Tudo isto pode ser acionado localmente ou à distância através do iphone.

Além das soluções de proteção, que outros dispositivos e produtos disponibilizam?

A gama de esplanadas e jardim é de uma beleza extraordinária, permite uma extensão de espaços que nos aproxima da luz, da natureza e das cores. São as pérgulas, os tetos de vidro, as cortinas de vidro simples e duplos, verticais e horizontais motorizadas, os toldos. Criamos aqueles cantinhos que fazem bem à alma no aconchego do lar, ou num espaço comercial onde podemos encontrar e desfrutar da companhia da família e dos amigos.

Lançaram recentemente uma nova marca. Fale-me um pouco sobre ela e as características dos produtos?

A marca ESATEP, é uma marca de venda exclusiva online e é dirigida a um target diferente da TEPSOL. São produtos selecionados pelos nossos clientes, fáceis de instalar, como estores, cortinas e mosquiteiros, mas que iremos alargar progressivamente. Os produtos são produzidos à medida, para o conceito DIY (faça você mesmo) que, hoje em dia, já é mais que um movimento, é um estilo que tem ganhado cada vez mais força.

Trabalharam nas áreas de Arquitetura, Segurança, soluções para Interior e Exterior. Alguma delas foi particularmente afetada aquando da chegada da pandemia?

Felizmente nenhuma destas áreas foi afetada pela pandemia, uma vez que com a situação do confinamento, as pessoas ao ficarem em casa aproveitaram para renovar e melhorar o ambiente onde, normalmente, pouco estavam, e passaram a estar praticamente o tempo todo.

Economicamente, como avalia o ano de 2020?

Apesar da contração da economia ter rondado os 8,5 por cento houve setores que não foram afetados e outros que até cresceram, principalmente os que se souberam reinventar, e particularmente online. Foi uma situação inesperada, mas acredito que a recuperação possa ser rápida, quando ultrapassarmos este problema, embora possa ser mais lenta para alguns setores. Na nossa área, como já tínhamos vivido a acentuada crise de construção, aprendemos a desenvolver mecanismos, ideias e projetos, de forma a minimizar os efeitos.

www.tepsol.pt

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here