75% das empresas reconhecem escassez da mão de obra

0
55

Um estudo da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), onde participaram cerca de 40 mil empresas, revelou que 75% das mesmas sentem-se afetadas pela falta de mão de obra. Simultaneamente, consideram que é cada vez mais urgente reter o talento dos profissionais que já fazem parte da empresa.

Embora o problema da mão de obra tenha vindo a ser falado e evidenciado nos últimos anos, a pandemia e o período de regresso ao trabalho pós-Covid-19 adensou a questão.

De acordo com a OCDE, entre 2019 e 2021 subiu consideravelmente o número de empresas que se queixam da dificuldade de recrutamento de profissionais qualificados. Assim, surge a importância da retenção de talento, enquanto fator primordial para garantir a qualidade dos colaboradores.

Entre os fatores estratégicos para a manutenção dos trabalhadores encontram-se a flexibilidade de horários, a valorização salarial e mesmo o envelhecimento ativo.

No caso português, é demonstrado que o país se encontra no segundo lugar da tabela no que respeita ao maior número de ausências laborais dos trabalhadores com mais de 55 anos, por motivos de doença.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here