“As empresas portuguesas têm boa reputação na Alemanha”

Portugal e Alemanha são dois países-membros da União Europeia e cujas relações são cordiais e profícuas há largos anos. Markus Kemper, presidente do Conselho Diretivo da Câmara de Comércio e Indústria Luso-Alemã (CCILA), destacou a ligação comercial e empresarial entre estes dois países e o papel da CCILA no incremento da competitividade e dos negócios entre Portugal e Alemanha.

0
218

Que análise faz desta relação, sobretudo no que respeita ao âmbito económico?

As relações económicas entre Portugal e a Alemanha são centenárias e pautam-se por um ambiente de cordialidade e por períodos de expansão em benefício dos dois países. No setor industrial há investimentos contínuos, não só das empresas mais conhecidas tais como a Siemens, a Continental ou a Bosch, mas também por muitas outras, como a Eberspächer. Na distribuição alimentar, o Aldi e o Lidl têm aumentado fortemente a sua rede de distribuição nos últimos anos, e na área das tecnologias de informação, engenharia e serviços partilhados, a Volkswagen estabeleceu em Portugal o seu Centro de Desenvolvimento de Software, a Mercedes, o Digital Delivery Hub, a BMW criou uma joint-venture com a Critical Software e a SAP tem vindo a aumentar as suas equipas de apoio “nearshore”.

Como classificaria este período pandémico que a Europa e o Mundo atravessaram, no que respeita à cooperação e ajuda económica que Portugal e Alemanha adotaram?

A pandemia colocou as economias mundiais perante enormes desafios: a queda drástica da procura, a interrupção das cadeias de fornecimento e a paragem forçada de setores relevantes como o Turismo. A pandemia veio expor a fragilidade das cadeias de abastecimento que ligam a Europa a outros continentes e, mesmo quando a atividade regressar à normalidade anterior, os empresários estão agora mais sensibilizados para a importância de terem fornecedores fiáveis a média distância, que consigam assegurar o fornecimento de bens e materiais mesmo em situações de crise. Esta poderá ser uma oportunidade para as empresas portuguesas, que por si já têm uma boa reputação junto dos compradores alemães. Perspetiva-se igualmente o desenvolvimento de novas parcerias na área energética, em particular na produção e exportação de hidrogénio verde. Refira-se a criação do consórcio HyPotência, um projeto iniciado pela Câmara Luso-Alemã em 2021, com o apoio da iniciativa “Mittelstand Global – Energy Solutions Made in Germany” do Ministério Federal Alemão de Economia e Ação Climática, que une as diferentes dimensões tecnológicas nos domínios da produção, distribuição e armazenamento de hidrogénio verde, baseado num projeto concreto para Portugal.

Economicamente, Portugal e Alemanha são parceiros. Como define esta relação, sobretudo no que diz respeito às importações e exportações respetivas e o impacto que quer Portugal, quer Alemanha têm um para o outro?

A Alemanha ocupa, a seguir à Espanha, o segundo lugar entre os mercados de importação de Portugal. De acordo com dados da UN Comtrade, em 2020, Portugal importou bens no valor de 68,6 mil milhões de euros, dos quais 13,3% da Alemanha. Segundo o Destatis, o Instituto de Estatística alemão, este valor coloca Portugal em 26º lugar na lista dos destinos das exportações alemãs. Por outro lado, Portugal exportou no mesmo ano bens no valor de 54,1 mil milhões de euros, dos quais 11,9% destinaram-se à Alemanha, passando Portugal a ocupar o 31º lugar entre os países de origem das importações alemãs. Em Portugal, a CCILA representa mais de mil empresas, das quais 532 alemãs, que empregam um total de mais de 60 mil colaboradores diretos, outros tantos indiretos, com um volume total de exportação que ronda os 16,5 mil milhões de euros em produtos e serviços.

Quais os objetivos da Câmara de Comércio Luso-Alemã para este ano de 2022?

A CCILA procura apoiar as empresas nos seus processos de internacionalização, seja ao nível da identificação de parceiros comerciais válidos, seja ao nível do apoio nos processos de investimento. A HANNOVER MESSE, maior feira industrial do mundo e da qual este ano Portugal é o “País Parceiro”, tem recebido especial atenção no contexto das atividades da CCILA, com o objetivo de as empresas participantes poderem captar investidores, estimularem exportações, apresentarem produtos inovadores e estimularem parcerias industriais. Continuaremos também a investir na competitividade das empresas através de uma forte aposta na qualificação profissional, através da DUAL, o nosso Serviço de Qualificação Profissional.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here