“Falta sensibilizar para a prevenção”

A Clínica Médica Dentária de Merelim presta cuidados de saúde oral desde 1998. Sandra Mota Borges, diretora clínica, realça a importância da tecnologia para um planeamento ágil, confortável e seguro a quem procura os serviços desta clínica, bem como as especialidades de saúde oral de que dispõe.

0
592
Sandra Mota Borges, diretora clínica

Quando surgiu a Clínica Dentária de Merelim e quando resolveram alargar os serviços às análises clínicas e exames de diagnóstico digitais?

A Clínica Médica Dentária de Merelim surgiu há 22 anos, tendo em 2013 investido em tecnologia de ponta, que nos possibilita realizar exames complementares de diagnóstico nas nossas instalações, como parte da evolução digital. Desta forma, agilizamos o processo de diagnóstico e planeamento do paciente, que será seguido por uma equipa multidisciplinar experiente e pós-graduada em diversas áreas da Medicina Dentária. O serviço de análises clínicas surgiu com a proposta de parceria pela Unilabs.

Que especialidades ligadas à saúde oral têm na vossa clínica? Como se desenrola o processo, desde que o cliente chega à vossa clínica até que se define um plano de tratamento?

Disponibilizamos especialidades como Ortodontia e Implantologia, passando pela Estética Dentária e Disfunções do Sono (apneia de sono). O processo de admissão é simples: o paciente, no check-in, responde a um pequeno questionário em que, além do seu historial de saúde, indica qual o motivo da consulta e a sua espectativa para a realização dos tratamentos. Depois, será realizado um exame clínico e são recolhidos vários elementos de diagnóstico (exames radiológicos e registos fotográficos). Posteriormente, avaliamos as suas necessidades e delineamos o seu plano de tratamento.

No que toca à Covid-19, que garantias de segurança oferecem na clínica?

Aquando da reabertura, estavam implementadas todas as medidas de proteção individual de todos os elementos que prestam serviço na clínica, assim como salvaguardados todos os mecanismos de higienização e desinfeção de equipamentos e espaços.

Ainda é necessário sensibilizar a população para a necessidade da prevenção dentária?

Nota-se que, ao nível da prevenção dentária, grande parte da população não está sensibilizada para a sua importância. Acredito que é uma falha que tem tentado ser colmatada pelas entidades privadas, contudo seria mais eficaz num contexto global do SNS.

Atualmente, 41% da população ainda assume que não vai ao dentista há mais de um ano. Qual a periodicidade indicada para um acompanhamento correto da saúde oral?

Por norma é recomendado a visita ao seu médico dentista num período de seis em seis meses, nunca mais do que um ano. Contudo, pode depender de caso para caso, podendo ser até inferior a seis meses.

Que análise faz do mercado, pré e pós-pandemia?

A procura por tratamentos na área da Medicina Dentária, mesmo em fase de confinamento, não deixou de existir. Contudo, pós-pandemia, houve um abrandamento da procura comparativamente ao período pré-pandemia.

www.clinicamdmerelim.pt

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here