“O foco na retenção de talento torna-nos atrativos”

A B.Time é uma organização com mais de 30 anos de atividade que, ao longo dos últimos anos, tem vindo a melhorar a sua política de retenção de talentos. Melhoria das ferramentas de trabalho, atualizações tecnológicas constantes, política de progressão salarial e uma política de conciliação entre trabalho presencial e home office têm ajudado a que os colaboradores se sintam mais felizes e produtivos.

0
442

Como caracteriza a B.Time, no que respeita à sua área de atividade e à política de retenção de talentos utilizada para com os recursos humanos da empresa?

A B.Time é uma organização com quase 30 anos e que cresceu focada nos seus clientes, através da prestação de um serviço de excelência. Este crescimento ocorre acompanhado por uma equipa estável, que partilha os valores da organização, e que se sente integrada dentro dos ideais e objetivos da empresa. Nos últimos anos, a B.Time tem-se focado em melhorar a sua gestão de recursos humanos, nomeadamente ao nível da atribuição das melhores ferramentas e condições de trabalho, da sua contínua flexibilização, da formação dos recursos e do seu reconhecimento. O foco na retenção de talentos tem tornado a B.Time numa empresa atrativa para se desenvolver o percurso profissional. Neste âmbito, destacamos: a criação de um modelo de carreira, que permite aos colaboradores trabalharem com objetivos
de crescimento definidos e tangíveis, sustentado por um método de avaliação que ajuda cada profissional a perceber os seus pontos fortes e as suas oportunidades de melhoria; a melhoria das condições salariais, que nos orgulhamos de ter conseguido rever em todos os anos da
história da empresa; a preocupação com o ambiente de trabalho, que é essencial para o bem-estar diário de toda a equipa e fomenta o espírito de equipa; o contínuo investimento em ferramentas tecnológicas, que permitam a todos os colaboradores estarem sempre atualizados e um passo à frente no mercado, mas também usufruir da flexibilidade do trabalho remoto sem comprometer o sucesso do seu trabalho; o convite à participação ativa de toda a equipa nas sugestões e críticas, dando à direção da empresa os inputs necessários
para trabalhar na satisfação e conforto de cada colaborador.

Quando recrutam talentos, quais são as principais características que procuram num colaborador?

O conhecimento é certamente valorizado, no entanto, procuramos cada vez mais pessoas com
proatividade, resiliência, humildade e vontade de aprender. Também o compromisso com o cliente e o espírito de equipa são competências importantíssimas.

Quais os principais pontos de atração de colaboradores que a B.Time oferece aos recursos humanos?

Procuramos sempre oferecer toda a formação necessária, ferramentas de trabalho avançadas e o melhor suporte técnico ao alcance de qualquer colaborador. Também a flexibilidade para o teletrabalho tem sido um fator atrativo para os colaboradores, que conseguem assim obter uma maior qualidade de vida, sem deixar de equilibrar os momentos de foco em casa com uma saudável interação de equipa.

Quais os desafios que o mercado reserva, proximamente, no que respeita aos recursos humanos e à sua retenção? Quais serão as capacidades mais procuradas, em breve?

O mercado da contabilidade está em mudança – as novas tecnologias e a possibilidade de utilizar ferramentas avançadas tem tornado a profissão cada vez mais apelativa a jovens profissionais. Este mercado enfrenta também uma onda de crescimento, com a proliferação
de empresários estrangeiros a abrir empresas em Portugal. Portanto, a procura é cada vez maior, mas também a exigência o será. Estimamos que, no futuro, as capacidades humanas e
intelectuais marcarão a diferença nesta área, porque o nosso trabalho “manual” tende a ser cada vez mais substituído por ferramentas informáticas. Em termos de contabilidade pura e dura, quem tiver uma elevada capacidade analítica e uma excelente comunicação com o cliente terá sempre um lugar privilegiado. Internamente, e porque sabemos a importância da estabilidade e coesão, os fatores de diferenciação passarão pela recetividade à mudança e gosto pela inovação, mas também a forma como se trabalha em equipa, a capacidade de
liderança e, muito importante também, autoliderança. Conhecermo-nos como profissionais é tão importante como conhecermos a nossa equipa e organização, sendo ambos essenciais
para participar e construir de forma consistente, que é o que nos mantém motivados para o que o futuro nos reserva.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here