“A carga fiscal das empresas é muito severa”

A Scalconta tem mais de quatro décadas de atividade nas áreas da Contabilidade, Fiscalidade e Assessoria. Situada em Santarém, esta empresa local tem em Etelvina Gaudêncio, contabilista certificada, a sua diretora técnica e uma profissional defensora de uma verdadeira digitalização dos processos contabilísticos.

0
579
Etelvina Gaudêncio, diretora técnica

Etelvina Gaudêncio é a diretora técnica da Scalconta, que ajudou a fundar. Presente no mercado há 43 anos, esta empresa de Santarém tem no rigor, na transparência e na honestidade os seus valores centrais: “Uma empresa que já conta o seu tempo de existência em décadas é, também, uma empresa resiliente e com uma grande capacidade de adaptação a todas as alterações que a própria área profissional já sofreu”. A Scalconta atravessou a época em que os processos contabilísticos eram conduzidos pelo Código de Contribuição Industrial, seguindo-se a entrada na União Europeia e atualmente as IES: “Todos estes processos nos exigiram sempre uma grande adaptação, sobretudo quando falamos de reformas fiscais”.

Outro momento onde a empresa teve de provar a sua resiliência foi no ano passado, aquando do confinamento que obrigou grande parte das empresas nacionais a fechar portas e a parar por completo a sua atividade: “Nessa época em particular, tivemos de estar ainda mais perto dos nossos clientes e orgulho-me de termos conseguido fazê-lo. Nunca deixámos de atender o telefone a um cliente, mas reconheço que, também nós, na Scalconta, fomos postos à prova. Ainda assim, com alguns colaboradores em teletrabalho, outros a trabalhar a partir do escritório e um processo de substituição de software de contabilidade a decorrer desde janeiro desse ano, tudo se fez. Recebemos centenas de documentos legislativos, com as leis e as respetivas alterações que saíam diariamente e conseguimos ajudar todos os nossos clientes”. Tal também se deveu ao trabalho de acompanhamento e ajuda que a Ordem dos Contabilistas e a APECA desenvolveram, bem como ao grande conhecimento que todos os colaboradores da Scalconta têm dos clientes: “Os contabilistas têm de conhecer bem as empresas com quem trabalham, de outra forma não se pode fazer uma boa Contabilidade. Esse conhecimento permitiu-nos apresentar aos clientes as melhores soluções, no que respeita aos apoios existentes e, para alguns deles, estes apoios foram essenciais para a sobrevivência do negócio”.

Ainda assim, Etelvina Gaudêncio alerta para as dificuldades ainda existentes na Economia: “Não creio que a retoma esteja a acontecer. Apesar de acreditar que o pior já passou, também vejo que as empresas estão ainda a ter muitas dificuldades – as maiores tiveram grandes prejuízos e há muitas empresas mais pequenas que não tornaram a abrir as portas desde que fecharam. Este ano, os apoios não chegaram para fazer frente aos prejuízos e muitas empresas foram sufocadas pela carga fiscal, que é muito severa para as empresas, sobretudo para as mais novas”.

A digitalização dos processos contabilísticos

O processo de digitalização, apesar de muito falado, não está na verdade a acontecer, segundo Etelvina Gaudêncio: “A digitalização é algo positivo – permitia poupar árvores, ambiente e a nossa saúde – mas só a verdadeira digitalização dos processos nos fará evoluir, enquanto profissionais. Nós, contabilistas, trabalhamos com faturas, talões, recibos… e fotografar ou digitalizar essa documentação não é digitalizar processos. Isso é apenas gerar mais trabalho, porque continuamos a ter que ter o verdadeiro documento connosco, para comprovar a sua veracidade. A verdadeira forma de digitalizar os processos contabilísticos deveria passar por permitir aos contabilistas ter acesso direto ao efatura dos seus clientes. Aí sim, com o acesso ao documento e ao seu conteúdo, poderíamos transferi-lo para a plataforma do software de contabilidade, classificá-lo e arquivá-lo digitalmente. Aí sim, estaríamos a não utilizar papel e a continuar a ter os documentos para provar qualquer transação”.

No que respeita ao futuro, a Scalconta é uma empresa com quatro décadas de atividade e que Etelvina Gaudêncio acredita que pode cumprir mais décadas no mercado: “Através do sócio João Raposo, a empresa tem a possibilidade de realizar projetos de financiamento, de reestruturação de empresas e reavaliação de processos de negócios, bem como certificações de qualidade, que inclusivamente já fizemos. Além disso, acredito que a Contabilidade vai continuar a ser necessária. Os empresários precisam de nós e do nosso aconselhamento, por isso acredito que podemos trabalhar por mais 40 anos, pelo menos”.

http://www.scalconta.com

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here