“A digitalização é necessária e inevitável”

A Gesconfer conta com 26 anos de mercado, enquanto empresa, e mais anos ainda de experiência dos seus colaboradores. António Xavier, o diretor executivo da empresa, recorda a resiliência e o profissionalismo da sua equipa, aquando do confinamento, para responder a todas as dúvidas dos seus clientes e encara o futuro com esperança.

0
584
António Xavier, diretor executivo

Fazendo uma retrospetiva, que evolução consegue percecionar relativamente ao setor e mesmo à empresa?

O setor da contabilidade caracteriza-se por estar em constante mudança e, naturalmente, em permanente adaptação. As mudanças surgem na sequência das inúmeras alterações legislativas, evolução tecnológica e pelas diferentes necessidades dos empresários. Temos verificado uma sobreposição da fiscalidade em relação à contabilidade, sendo o SAFT da contabilidade o melhor exemplo e o mais atual. A evolução tecnológica, naturalmente, tem sido uma das formas de os escritórios de contabilidade responderem melhor e de forma mais célere às necessidades dos empresários. A Gesconfer acompanhou todos estes processos, apostando na formação da sua equipa, investindo em recursos que permitem responder a todas as necessidades dos seus clientes e gerando novos serviços, que complementam os já existentes.

Quais as principais dificuldades sentidas pelos contabilistas, ao longo do período pandémico, e como conseguiu a Gesconfer ultrapassá-las?

Ninguém estava preparado. Foi necessário gerir a avalanche de legislação que foi emitida, interpretá-la, analisá-la, filtrá-la e aconselhar o empresário sobre o que seria melhor para ele. Se associarmos tudo isto à falta de informação que nos era prestada pelos serviços, nomeadamente Segurança Social e Administração Tributária, também eles com grandes dificuldades, conseguimos perceber a grandeza de tudo isto. No nosso caso, criámos boletins informativos, que eram enviados periodicamente a cada cliente, contendo o resumo das principais alterações legislativas que surgiam diariamente. Transmitir proximidade e acompanhamento ao cliente foi o nosso foco.

A digitalização dos processos foi fundamental para que as empresas de todos os setores pudessem continuar a laborar. Como se adaptou a Gesconfer a essa necessidade?

A digitalização é um processo necessário e será inevitável. A Gesconfer, ao longo dos últimos anos, tem vindo a adaptar a sua estrutura com meios que reduzam o tempo despendido com tarefas, nomeadamente a classificação e introdução de lançamentos, que sendo necessárias, acrescentam pouco valor ao empresário ou gestor e atualmente estamos em fase de testes para a implementação de uma aplicação que permitirá a digitalização de todos os documentos, bem como criar automatismos que minimizam ou anulam o efeito das tarefas menos valorizadas.

A assessoria fiscal e a gestão administrativa e de recursos humanos fazem também parte dos serviços apresentados. Parece-lhe que os contabilistas já são reconhecidos como parceiros das empresas?

Os contabilistas são sem qualquer dúvida parceiros das empresas, mas quanto ao seu reconhecimento há um longo trabalho a fazer. Esse reconhecimento não pode ser apenas visto por parte dos empresários, mas também pelas entidades com quem os contabilistas se relacionam. O que seria da Administração Tributária ou da Segurança Social sem os contabilistas? Por exemplo, nenhuma destas entidades tem um acesso às suas plataformas direcionado só para contabilistas…

Como avalia o panorama empresarial atual, considerando a crise conjuntural que a pandemia trouxe e a retoma de que o Governo fala?

A forma como os empresários reagiram à atual situação, alguns deles reinventando os seus negócios, foi impressionante. Esta postura deixa alguma esperança num futuro melhor. Sabendo de antemão que o efeito pandémico foi fatal para muitas empresas, é necessário acreditar naquelas que irão sobreviver.

Relativamente à Gesconfer, como vê o futuro?

O ano de 2020 foi um ano de uma grande mudança na Gesconfer, com uma alteração da sua estrutura societária, mudança essa concluída 15 dias antes do confinamento. A postura foi sempre de acreditar e sermos os verdadeiros parceiros dos nossos clientes. Crescemos em número de clientes e em faturação. Estamos a apostar em novos serviços de forma contínua e fazemos o acompanhamento das atividades dos nossos clientes de forma preventiva e não reativa, permitindo que obtenham os melhores resultados. Internamente temos uma equipa de excelência, o que nos permite encarar o futuro com esperança e convictos de que iremos continuar a crescer.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here