“As decisões financeiras impactam o funcionamento das empresas”

Joana Albuquerque tem uma carreira consolidada na área da Consultoria Fiscal, Contabilidade e Auditoria e foi com base nessa experiência e nas solicitações constantes dos seus atuais clientes que avançou para a criação do seu projeto próprio, em 2019 – Joana Albuquerque Finance - que se distingue pela metodologia onde se privilegia a proximidade do cliente, enquanto fator de diferenciação.

0
1115
Joana Albuquerque, founder e managing partner

A sua carreira na área da Contabilidade e Fiscalidade é consolidada e tem largos anos. Todavia, em 2019 criou a Joana Albuquerque Finance. O que a fez avançar para este projeto próprio?

A criação do meu projeto foi uma reação natural à procura que fui tendo por parte de pessoas e empresas do meu círculo de contactos. Acontecia regularmente com situações específicas, por vezes com desafios complexos. Desafio após desafio, a relação com os clientes ia ficando cada vez mais próxima e isso era algo que me trazia uma enorme satisfação. O facto de ter tido a oportunidade de, ao longo dos anos, trabalhar em diferentes áreas, como Consultoria Fiscal, Auditoria, Contabilidade e Controlo de Gestão, em empresas como a Ernst & Young, Coba – Consultores de Engenharia e a Joaquim Chaves deu-me uma grande abrangência de atuação e foi, possivelmente, um dos fatores de diferenciação na procura dos nossos serviços. Em 2019 decidi dedicar-me a 100 por cento aos meus clientes e criei a Joana Albuquerque Finance.

Quais os serviços mais solicitados?

Os clientes procuram muito serviços de consultoria fiscal, mesmo quando são clientes de contabilidade ou auditoria, porque é uma área em que uma determinada decisão pode ter um enorme impacto financeiro. O planeamento fiscal é crucial para a tomada de decisões conscientes e atempadas e faz parte da nossa metodologia.

Aquando da pandemia, como se adaptou a JA Finance à digitalização dos processos?

Em março de 2020 tínhamos a empresa 100 por cento preparada para o teletrabalho. O programa de contabilidade que trabalha em ambiente cloud, a partilha de ficheiros e o Teams, enquanto ferramentas de trabalho, foram essenciais para que a rotina com os clientes fosse mantida de forma regular. Claro que tivemos desafios. Talvez o maior tenha sido a facilitação de reuniões remotas com clientes que estavam menos preparados para esta realidade, aos quais demos formação, juntamente com o nosso parceiro tecnológico.

Aquando do encerramento de muitas empresas, a legislação que saía diariamente obrigou a um trabalho constante dos contabilistas, que estiveram na linha da frente na ajuda às empresas. Como conseguiram ultrapassar esta fase?

Foi um período delicado em que as pessoas estavam muito apreensivas com o futuro dos seus negócios. Colocavam-nos constantemente questões sobre assuntos fiscais que, muitas vezes, ainda não tinham sido legislados. Acompanhávamos e debatíamos diariamente a nova legislação, em parceria com os nossos clientes. Acredito que o rigor que mantivemos e a nossa metodologia foram essenciais num ambiente de incerteza em matéria fiscal.

Como avalia o papel dos contabilistas, atualmente, na sociedade?

Acredito que o nosso papel é cada vez mais valorizado, pelo impacto que as decisões financeiras têm no resultado das empresas. Isto porque os clientes tendem a consultar-nos para tomarem decisões estratégicas com grande impacto financeiro e usam as nossas opiniões para fundamentar as suas tomadas de decisão. A área financeira não é igual para todas as empresas, pelo que deve ser acompanhada com maior proximidade, de forma a perceber especificidades e, assim, otimizar as soluções. A proximidade com os clientes é uma regra de ouro nesta área, porque quanto mais vasto é o nosso conhecimento das situações reais da empresa, mais eficaz é o nosso desempenho. Sem proximidade, podemos não alcançar o objetivo principal que é a otimização fiscal. Não atingir a solução ideal é algo que se evita, conhecendo a fundo os dossiers e a realidade dos clientes. É também importante sermos rápidos a dar resposta aos clientes. Vivemos numa era de imediatismo. Deixar o cliente muito tempo sem resposta cria distância.

Quais os objetivos, a curto e médio prazo, que planeou atingir com a JA Finance?

Queremos aumentar a nossa equipa, de forma a darmos resposta à nossa crescente carteira de clientes, mantendo o foco no que nos distingue: serviço personalizado e próximo dos clientes.

www.joanaalbuquerque.com

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here