“Crescemos durante o confinamento”

A Site.PT está há 14 anos no mercado e, durante este período, o mundo digital evoluiu e revolucionou a forma de trabalhar das empresas. Sendo uma referência na criação de sites e lojas digitais para PME’s, a Site.PT teve um aumento de pedidos de orçamento de 300% durante o período de confinamento, devido à necessidade de transportar para o digital os negócios físicos, como explicou o cofundador e diretor de operações, Ivan Almeida.

0
442
Interior of creative designer studio office

Estão há 14 anos no mercado. Que evolução existiu desde que começaram a trabalhar até ao momento?

A internet evoluiu em diversas vertentes como linguagem, aplicativos, navegadores, usabilidades, etc…o nosso desafio foi tentar sempre perceber o que o mercado pede em cada momento e ter sempre uma oferta e posicionamento adaptado à necessidades das empresas. Em 2007 era muito mais complexo e mais moroso construir um website, hoje em dia temos ferramentas e metodologias que nos permitem criar sites e lojas online de qualidade num curto espaço de tempo, e isso levou-nos a que sejamos uma das empresas de criação de sites para PME´s de maior referência em Portugal.

Uma das maiores evoluções foi sem dúvida a forma como as pessoas visitam os websites, antigamente um site era pensado principalmente para ser visualizado em desktop, hoje em dia a maioria dos visitantes de um website recorrem aos telemóveis para aceder à Internet, por isso criar um site que não seja responsivo e preparado para dispositivos móveis é um erro crasso, a usabilidade móvel tem que ser cada vez mais uma prioridade das empresas de criação de sites.

Quais as características que procuram respeitar, em qualquer trabalho que realizem, de forma a que este seja um “trabalho Site.PT”?

Em todos os sites e lojas online que criamos tentamos sempre providenciar aos utilizadores uma boa experiência de navegação, há uns anos atrás dávamos mais importância à criatividade e menos á usabilidade, e fomos descobrindo ao longo dos tempo que o melhor site é aquele que gera contactos e vendas e não o site que tem mais movimento e que distrai mais utilizador com animações ou efeitos desnecessários, desta forma quando construímos um site ou uma loja online tentamos olhar da perspetiva do cliente, tendo sempre em conta 5 pontos que para nós são essenciais: – A comunicação descrita no site é clara? – Posso ir para onde quero com 2 ou 3 cliques? – Cada página tem os elementos essenciais e leva-me a querer ler mais? –  Tem um aspeto profissional? – A navegação entre páginas é rápida?, se cumprirmos com estes pontos, o trabalho será realizado com sucesso.

Com a pandemia e o confinamento, muitas pessoas e empresas viram-se na necessidade de colocarem as suas atividades e negócios online, para chegarem ao público-alvo. Como foi esse momento para a Site.PT? Houve um aumento de trabalho?

A pandemia veio mostrar a importância de estar presente online!

Já vínhamos com um crescimento de 20% nos meses pré-pandemia, passando a mais de 300% do período de confinamento, por isso diria que, à imagem das empresas de consumíveis hospitalares que viram a sua produção a atingir a capacidade máxima, também nós fomos obrigados a ultrapassar todos os limites de velocidade para conseguirmos continuar a oferecer um serviço de proximidade e qualidade aos nossos atuais e novos clientes. Colocámos como objetivo principal manter a política de suporte e apoio ao cliente inalterada e com tempos de resposta iguais aos anteriores, enquanto a maior parte das empresas colocava trabalhadores em “lay-off”, nós caminhávamos no sentido contrário e tivemos de contratar e aumentar a nossa equipa.

Acredita que este momento acabou por representar o impulso que faltava a muitos empresários para se posicionarem online?

Sem dúvida, com mais empresas a serem obrigadas a confinar, e cada vez mais pessoas a ficarem em casa, a única forma de continuar a fazer negócios é apostando no online! É importante perceber que devido ao facto das pessoas passarem mais tempo em casa ao computador, a tendência será o aumento das compras online, e surgiram oportunidades únicas de venda para vários negócios, desde o supermercado ou talho da esquina que através de uma loja online pode agora vender durante 24 horas e fazer entregas ao domicílio, aos negócios que não tinham qualquer presença online e agora tem tempo para repensar a sua estratégia digital. Não acredito que hoje faz mais sentido investir mais no online do que no ‘pré-covid’. Acredito é que esta situação que atravessamos veio reforçar a importância do digital, e os empresários aperceberam-se disso.

A comunicação com o cliente, ainda que por via digital, continua a ser vital para o sucesso do negócio. Como se adapta uma comunicação direta e pessoal para uma realizada por via digital? Como antecipa o futuro da comunicação digital? Parece-lhe que, finalmente, a área digital passará a ser vista como uma verdadeira nova possibilidade de atrair e reter clientes?

Ter uma estratégia apenas baseada no tradicional é hoje em dia um modelo bastante redutor e insustentável. A transformação digital vem ligar as pessoas às empresas e o produto ao consumidor de uma forma mais direta e acessível, as empresas que apostam na comunicação digital normalmente tomam decisões mais inteligentes.

Com o online abre-se um novo canal de negócio, possibilita com que o nossos produtos ou serviços vendam sem fronteiras durante 24h oferecendo à empresa uma otimização dos seus recursos que de outra forma seria difícil. Em jeito de exemplo posso contar uma experiência interessante que aconteceu numa reunião com um cliente que possui um negócio com mais de 20 anos na área dos brindes publicitários. Este relatava que tinha 8 comerciais na rua de porta em porta a promover os seus produtos, e que isso acarretava um custo entre ordenado mais despesas de deslocação bastante considerável para a empresa tornando-a quase insustentável, então propusemos um desafio para que no mês seguinte a nossa equipa de marketing funcionasse como nono comercial, através de uma estratégia de marketing digital atraímos clientes online para a venda dos brindes publicitários. O resultado após 30 dias, foram vendas de mais de 500% no online em comparação com a média dos comerciais, com os mesmos custos para a empresa, o que veio provar que o método tradicional não era tão rentável como o negócio realizado por via digital, e que reforça a certeza que a migração para o canal digital pode ditar a sustentabilidade económica da maioria dos negócios. Por vezes os empresários, principalmente aqueles com uma mentalidade mais conservadora, estão tão agarrados à rotina de dia-a-dia e a práticas redundantes que nunca param para repensar os seus negócios , e isso foi uma das coisas positivas do momento que atravessamos, os empresários saíram finalmente do dia-a-dia de escritório e tiveram mais tempo para perceber que caminho digital pode dar-lhes uma vantagem competitiva comparativamente com a concorrência, e abrir desta forma novas oportunidades de negócio durante e no pós-pandemia.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here