“O produto premium tem sempre procura”

A Magnificat Real Estate é especializada em transações imobiliárias, sobretudo no que respeita ao segmento "prime", bem como em produtos de investimento nacionais. Carla Moniz Soares, CEO, destacou a forma de trabalhar da Magnificat Real Estate e como o mercado se comportará em 2021.

0
443
Carla Moniz Soares, CEO

Como definiria a forma de estar no mercado da Magnificat Real Estate? O que a distingue das restantes concorrentes?

Temos por missão promover a intermediação imobiliária, pautada pelos mais elevados padrões de excelência de serviço e onde a transparência é fundamental desde o início até ao fim do negócio. Os nossos serviços são construídos com base na confiança e integridade, o que dá aos nossos clientes, colegas, parceiros e investidores a confiança para trabalhar connosco. O que nos distingue é termos um tratamento personalizado, oferecemos aconselhamento à medida, o que constrói relacionamentos de longo prazo e permite assegurar o apoio para a tomada de decisão relativamente ao imóvel. A Magnificat Real Estate tem quatro pilares que caracterizam a sua forma de estar no mercado e na vida, que são Honestidade, Confiança, Profissionalismo e Acolhimento.

Que avaliação faz do mercado imobiliário, sobretudo das regiões que mais trabalham?

A Magnificat Real Estate presta serviços em todo o país, com mais incidência em Lisboa, Porto, Setúbal e Algarve, tendo também parceria no setor imobiliário no Brasil. Os ativos continuam a ter procura em todo o território, mas de uma forma mais seletiva e contida, sendo uma certeza que investir em ativos imobiliários é uma forma segura de investir. Mesmo com o aparecimento da pandemia, em 2020, o volume de negócios não estagnou. Abrandou, houve uma alteração de foco nos investimentos, o arrendamento dos ativos imobiliários cresceu, principalmente a habitação, dado que os investidores dos alojamentos locais contornaram a situação por falta de turistas e deram preferência ao arrendamento de longa duração. A nível do mercado da habitação de compra e venda, os preços estão inflacionados e mantiveram-se altos, atendendo ao salário mínimo e médio existente em Portugal, mas com os juros baixos e a facilidade de crédito continua a haver bastantes transações e o mercado muito ativo. Todavia continua a haver no mercado uma disparidade entre a procura e a oferta.

Com a pandemia e o fecho das fronteiras anteriormente praticado, a entrada de investidores estrangeiros ficou mais difícil. É possível encontrar em Portugal investidores que mantenham o mercado Premium a funcionar?

Com o surgimento da pandemia, o mercado abrandou nos primeiros meses, porque os investidores não sabiam quais seriam as consequências do seu investimento. Porém, não desistiram de investir em Portugal, porque também surgiram novas oportunidades de investimento atraentes. O produto premium tem sempre procura pois são investidores específicos, que procuram ter um investimento de qualidade e seguro de retorno, quando necessário.

Quais as dificuldades que atualmente se verificam, neste setor?

Estando numa aldeia global, onde a informação é acedida facilmente, os preços dos imóveis inflacionaram por contágio. A presença de estrangeiros em Portugal foi aliciante e os proprietários aumentaram o valor dos seus imóveis, o que pode ser um entrave a mais transações. A diminuição do turismo interno e externo e as restrições ao visto Gold são um obstáculo ao investimento.

Como se adaptaram e inovaram, na vossa forma de trabalhar e de chegar aos clientes, sobretudo tendo em consideração a necessidade de distanciamento social e a redução dos contactos presenciais?

A forma de atuação da Magnificat Real Estate não foi alterada, dado que sempre apostámos num serviço de excelência, mas maioritariamente feito à distância de um clique, poupando tempo ao cliente e investidor e tendo as trocas de ideias e reuniões, quando existem decisões de ambas as partes. Reforçámos a utilização das plataformas digitais, apoiados por uma equipa profissional de marketing digital, cultivámos uma política de parcerias, desenvolvemos o teletrabalho e estudámos semanalmente o mercado, para oferecer um serviço “chave na mão”.

Como considera que será o comportamento do mercado imobiliário nacional, tendo em conta a existência da pandemia, em 2021?

O setor imobiliário está mais preparado para a existência da pandemia em 2021 do que em 2020, pois conseguiu aderir e utilizar mais os serviços em formato digital, o que o tornou mais robusto e eficiente, e o cliente final e o investidor também aceitaram esta inovação. Com o marketing digital, houve redução de custos, o que dá outras opções de investimento na divulgação. O comprador e o proprietário estão mais exigentes, pelo que temos de fazer cada vez mais e melhor. A alteração na legislação referente ao visto Gold vai reduzir algum investimento, que estava dedicado a este nicho de mercado, principalmente nas grandes cidades, mas se as taxas de juro continuarem baixas e a facilidade de crédito se mantiver, os clientes irão ter tendência para comprar casa. Os fundos de investimento continuarão a ter um papel importante, como todas as entidades que ajudam a impulsionar o mercado. Assim, o setor imobiliário continuará a ser um dos motores da economia portuguesa. O mercado vai continuar a crescer, mas moderadamente e a Magnificat Real Estate continuará a focar-se na relação com o cliente, que é prioritária para alcançar o sucesso e realização do cliente e mediador imobiliário e, assim, crescer em número de colaboradores, parcerias e volume de negócios.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here