Serviroad: a garantia de segurança e controlo em cada transporte

A Serviroad iniciou a sua atividade em 2011, numa altura em que o mercado angolano estava em crescimento e as relações económicas entre Portugal e Angola estavam em crescimento. Empresa de transportes certificada, com capacidade para responder ao transporte de múltiplos tipos de produtos, tem planeado um investimento de sete milhões de euros em frota e nas novas instalações, situadas no Porto.

0
141

A Serviroad celebra 10 anos de atividade este ano. Que avaliação faz de uma década no setor da logística, particularmente dedicada ao transporte de produtos entre Portugal e Angola?

A Serviroad foi criada em 2011, com o objetivo de auxiliar os mercados português e angolano na sua expansão e crescimento, eliminando os riscos habitualmente associados à importação e exportação de produtos. Contudo, nos últimos seis anos veio a decrescer o transporte entre Portugal e Angola, devido à desvalorização da moeda angolana. O retorno tem sido lento, obrigando a Serviroad a crescer no mercado europeu.

O que torna o vosso serviço diferenciador?

Na Serviroad, a nossa equipa possui uma grande capacidade de resposta no que podemos ou não fazer. Apresentamos qualidade no serviço prestado, o que transmite uma confiança para os nossos clientes. Os nossos altos padrões de qualidade e exigência garantem a qualidade e segurança dos nossos serviços, assim como a nossa frota de excelência, as certificações a nível de Qualidade (ISO9001), Segurança Alimentar HACCP (IFS Logistic e BRC Storage and Distribution) e a Segurança de Carga TAPA TSR nível 1.

Que produtos transportam?

Na Serviroad, transportamos produtos alimentares e outros produtos perecíveis, com necessidade de temperatura controlada ou refrigerada, respondendo a todas as exigências dos nossos clientes. Flores, plantas, frutas e legumes, carga geral, dispondo também do certificado TAPA, que nos permite transportar cargas de alto valor.

Como caracteriza a situação do setor logístico, em particular no que se refere à logística do frio, considerando a presença de tecnologia – muitas vezes 4.0 e mesmo a inteligência artificial – no dia a dia empresarial?

A evolução tecnológica traz melhorias para os processos e resultados em qualquer setor do mercado, e com a logística não é diferente. Por meio da análise de dados inteligente, é possível ter atenção a cada cliente de maneira personalizada, a fim de garantir a sua fidelidade. O grande diferencial é prever comportamentos para antecipar problemas e tomar ações estratégicas. Esta evolução trará enormes benefícios a nível de redução de perdas, maior precisão na análise de dados, redução de custos e consequente aumento da satisfação dos clientes. Atualmente, os clientes – importador e exportador – gostam de ter acesso contínuo ao estado da sua mercadoria, seja para monitorizar as suas condições de transporte ou para se assegurarem de que não há nenhum desvio da mesma durante o trajeto.

A Serviroad torna este acompanhamento possível?

A Serviroad não tem apenas acompanhado o mercado como vai mais além, inovando e marcando a diferença ao disponibilizar o nosso serviço Serviroad Tracking. Este é um sistema inovador, de fácil acesso a localização e controlo de mercadorias por nós transportadas, à distância de um clique, para o cliente aceder em tempo real à informação relativa à sua mercadoria. A Serviroad é uma empresa de transportes com certificação TAPA (nível TSR1), IFS, BRCS e SGS, logo todos os nossos camiões são monitorizados 24h, garantindo não só as temperaturas de transporte, mas a segurança em toda a cadeia logística e transporte.

O setor da logística foi um dos setores que não parou durante a crise pandémica, o que permitiu que não faltassem produtos aos consumidores. Como lhe parece que o setor lidou com esta questão? Soube organizar-se?

A Serviroad teve a capacidade de se adaptar à crise pandémica de forma exemplar, conseguindo manter a distribuição alimentar dos nossos clientes pois, apesar de nos encontramos perante as dificuldades de uma nova realidade, com os nossos funcionários em teletrabalho, conseguimos adaptar soluções de imediato. Iniciando um processo de formação atendendo às normas da DGS, onde os nossos motoristas conseguiram adaptar-se a esta nova realidade de uma forma exemplar, sendo para nós um dos principais fatores de sucesso durante a crise pandémica.

Quais as principais dificuldades que identifica nesta área de trabalho e que lhe parecem precisar de solução urgente?

As principais dificuldades no setor são, acima de tudo, os custos relacionados com a energia. O preço do combustível tem aumentado de forma considerável, o que coloca em causa a saúde financeira do nosso setor. Temos implementadas medidas para reduzir a nossa pegada ambiental enquanto empresa, o que se traduz em redução de consumo, logo menos custos e menor poluição, mas para manter uma frota o mais ambiental e tecnológica possível, como temos, são necessários elevados investimentos, para os quais não existe qualquer apoio por parte das entidades públicas, ao contrário de diversos setores.

Quais os planos, a médio prazo, para a empresa? É possível expandir o mercado para o qual prestam serviço?

A Serviroad tem um investimento previsto, para 2021 e 2022, no valor de sete milhões de euros, em frota e nas novas instalações no Grande Porto.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here