Tecnologia simples e eficaz para os negócios

Sérgio Rocha é o diretor da Make it Simple, uma empresa de tecnologia de informação especializada em desenvolvimento de infraestruturas e trabalho em Cloud, nascida em 2002 e cujo crescimento acompanha o dos seus clientes. A forma de trabalhar é aquilo que a distingue – a Make it Simple coloca a tecnologia ao serviço dos negócios, simplificando processos.

0
970
Sérgio Rocha, diretor

“A tecnologia deve ser como as leis da Física. Com explicações complexas, mas de funcionamento simples”. Como caracteriza a Make IT Simple, no que respeita à forma como olha para a tecnologia e a trabalha?

A nossa visão do que devem ser as tecnologias de informação está bem representada nessa frase. Em muitas organizações a informática é vista como algo bastante complicado e por vezes de difícil utilização. O que fazemos na Make it Simple é libertá-los dessas preocupações, e fazer com que não trabalhem para a tecnologia, mas sim que a tecnologia trabalhe para os seus negócios. Na base da criação da Make it Simple esteve a consultoria, a experiência a trabalhar em grandes instituições, e nascemos porque quisemos trazer a organização e a simplificação de processos de trabalho para um maior número de empresas.

Dispõem de três áreas de negócio: desenvolvimento aplicacional, infraestruturas de TI e cloud solutions. O que vos fez apostar nestas três áreas, em particular?

As soluções hoje conhecidas como Cloud têm na sua génese o alojamento Internet, os servidores ligados 24/7 à rede. A nossa paixão pela Internet é anterior à própria Make It Simple – envolvemo-nos neste processo em 1998 – no entanto, só a maturidade e evolução da própria Internet permitiu o tipo de serviços que hoje são conhecidos como Cloud. A consultoria em infraestruturas Cloud trouxe-nos a experiência em infraestruturas de TI e percebemos rapidamente que há uma grande necessidade nesta área, pelo que evoluímos para a sua implementação e manutenção. O desenvolvimento aplicacional surge para responder às necessidades internas de gestão. A complexidade do negócio hoje conhecido como Cloud obrigou-nos a desenvolver soluções internas, e rapidamente a rede de parceiros começou a pedir-nos desenvolvimento. Hoje temos clientes em que todo o seu negócio é baseado em plataformas novas, desenvolvidas por nós. Em 2016, tivemos um grande crescimento nesta área com a aquisição de uma empresa gémea, a Media Foundry.

A vossa especialização em Cloud vem desde o início da empresa. Quais as soluções particularmente encontradas e desenvolvidas por vós, para fazer frente aos desafios particulares atuais?

Os desafios da Cloud são muito distintos e vão desde dar mobilidade aos colaboradores, até à economia gerada com a ausência de servidores no escritório, através da poupança de energia, de refrigeração, de conectividade e em hardware. A Cloud é muito mais do que um servidor de ficheiros online. Hoje podemos disponibilizar na Cloud praticamente tudo o que antes tínhamos nos servidores locais ou nos próprios computadores dos utilizadores, por isso os desafios são bastante variados, desde o cliente que tem o tal servidor de ficheiros no escritório e necessita que esteja disponível em qualquer local e deseja livrar-se dos encargos com hardware, até à virtualização de aplicações.

Como é feito o desenvolvimento das infraestruturas de TI?

Nesta área, o estudo constante e o acompanhamento ao que aparece de novo /melhorado é uma obrigatoriedade. Esta é uma das nossas especialidades – estar atentos, em constante investigação, o que, somado aos anos de projetos em clientes, nos dá a experiência de termos para o cliente uma solução capaz, economicamente viável e de operação e manutenção simples.

Que soluções apresenta, no que respeita ao desenvolvimento aplicacional, e que permitem uma otimização dos processos de negócio, das quais nos queira dar conta?

Os processos que automatizamos são processos que não têm correspondência em software de mercado. São, por norma, fatos à medida. Trabalhamos transversalmente em toda a organização, desde os operacionais até às administrações, resolvemos ineficiência, criamos métricas de gestão e operação e ficamos sempre muito felizes com a transformação digital que os nossos clientes sofrem.

Quais os próximos objetivos a atingir, para a Make IT Simple? O futuro passa pelo crescimento?

O nosso foco é o reconhecimento dos nossos clientes e se fizermos bem o nosso trabalho, como até ao momento, os clientes mantêm-se connosco e novos se juntam. O nosso crescimento não é uma obsessão, é antes uma consequência da nossa competência em garantir que desenhamos as melhores soluções para os nossos clientes.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here