“2020 foi ótimo para o investimento nacional”

Daniel Dante de Araújo é o general manager da DA-Consulting & Investments, uma empresa que nasceu há cerca de um ano e cuja atividade se baseia na consultoria técnica para o mercado imobiliário. A pandemia afetou o investimento internacional, mas Daniel Dante de Araújo considera, porém, que 2020 foi um ótimo ano para o investimento nacional.

0
946
Daniel Dante de Araújo, general manager

A DA-CONSULTING & INVESTIMENTS é especializada em consultoria técnica para o mercado imobiliário. Quais os principais serviços e áreas de intervenção de que dispõe?

A empresa presta o serviço de consultoria técnica nas áreas de apoio ao investimento nacional e internacional, nomeadamente desenvolvimento de infraestruturas, criação de empresas e desenvolvimento de estratégias de investimento; na prospeção, angariação, mediação e promoção de imóveis ou ativos pretendidos pelos mesmos; obtenção, realização, acompanhamento e promoção de projetos imobiliários; obtenção de financiamento para a aquisição de imóveis ou ativos; gestão de imóveis e património e consultoria na área de solicitadoria jurídica e administrativa.

Qual a região onde a DA-CONSULTING & INVESTIMENTS atua, com particular ênfase? Como a caracterizaria, no que se refere ao mercado imobiliário?

A empresa atua em todo o país, com particular ênfase nas cidades do Porto e Lisboa, dando também especial atenção à região do Algarve. Portugal é caracterizado como sendo apetecível para investir por diversas razões, sendo as zonas anteriormente descritas as mais solicitadas nacional e internacionalmente.

Como avalia a propensão dos investidores para adquirir imóveis, atualmente? Os negócios continuam a fluir ou as pessoas estão ainda incertas sobre investir, tendo por base a questão pandémica?

Desde o início desta pandemia que existe um grande clima de investimento. A propensão dos investidores sempre foi e continua a ser grande. A incerteza existe e os investidores gostam de negociar nessa mesma incerteza. Existe um interesse cada vez mais visível para a aquisição e fusão de empresas, fazendo crescer alguns grupos económicos e em alguns casos monopolizando áreas de negócio.

O fecho das fronteiras, aquando do confinamento, afetou a atividade da DA-CONSULTING & INVESTIMENTS? De que forma foi possível continuar a trabalhar?

O fecho das fronteiras afetou todo o tipo de empresas, principalmente as que trabalham com investidores e grupos internacionais, como é o caso. Contudo, muitos negócios que estavam a ser analisados no primeiro trimestre foram efetivados no terceiro e quarto trimestres de 2020 e alguns ainda vão ser este ano. Logo, o ano de 2020 teve um saldo positivo no que diz respeito aos investidores internacionais. No plano nacional a história é outra. Os nossos investidores posicionaram-se como nunca, pois não tinham a concorrência dos investidores internacionais. Arrisco mesmo a dizer que o ano de 2020 deve ter sido um dos maiores anos de sempre do investimento português em Portugal.

Como vê o desenvolvimento do setor imobiliário, paralelamente com o mercado de investimentos? Portugal tem espaço para crescer? Como podemos tornar-nos um país mais inovador e diferenciado nestas áreas?

O setor imobiliário já está em desenvolvimento há alguns anos, pelo menos para alguns grupos económicos, e esse é o caminho. Portugal não pode ser visto no plano internacional como sendo um bom país para investir em casas e prédios. Temos que ir mais além e acrescentar valor, nomeadamente posição geográfica, estabilidade política, neutralidade militar, clima… para que grandes grupos industriais internacionais venham para Portugal. Em relação à inovação, Portugal já está há uns anos a captar investimento internacional, e atualmente também nacional, para o setor da energia solar e eólica, mas necessitávamos de ir mais longe, e eu estou a trabalhar nisso, pois temos uma costa marítima imensa por explorar, pela indústria hídrica.

Quais os principais desafios que antecipa para os próximos meses, considerando o impacto da pandemia nesta área?

Tempo… O meu principal desafio é conseguir ter tempo para concluir todos os dossiers que tenho em mãos. A pandemia só veio atrasar processos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here