“A pandemia criou novas necessidades”

Gracinda Gonçalves é a diretora da GG Imobiliária, cujo foco de atuação se centra na região do Grande Porto, apostando particularmente no segmento médio e alto, no que respeita à procura e oferta de imóveis. Tendo em conta a dimensão da agência e o seu cunho diferenciador, a GG Imobiliária define-se como uma empresa próxima do cliente e que preza a qualidade dos imóveis que transaciona.

0
664
Gracinda Gonçalves, diretora

A GG Imobiliária presta serviço essencialmente no distrito do Porto e tem como foco o segmento de média e alta qualidade, no que respeita aos imóveis transacionados. Como caracteriza este segmento de mercado e como reagiu o mesmo aquando do confinamento obrigatório?

Quando decidi criar o projeto GG Imobiliária, dada a pequena dimensão e a forma de atuação comercial diferenciada, fazia todo o sentido segmentar o mercado e o cliente-alvo com que mais me identificava. Claramente este é um segmento de mercado mais estável e é do conhecimento geral que o confinamento obrigatório trouxe um abrandamento na procura de imóveis, assim como na oferta para venda. A impossibilidade de visitas não definiu a ausência de vendas, até porque a construção nova se manteve ativa.

Como caracteriza o mercado imobiliário das regiões que trabalha?

Trabalho essencialmente o Grande Porto, com foco na Foz, Matosinhos, Ramalde, Prelada e um mercado muito específico fora do Porto, como Vale Pisão, em Água Longa. É um mercado muito expressivo, com alguma procura e pouca oferta.

Durante a pandemia, todos os setores de atividade tiveram de se adaptar, para continuarem a trabalhar. Como procedeu a GG Imobiliária?

Com uma alargada experiência em atividade comercial e gestão, o projeto GG Imobiliária define-se por ser um projeto diferenciador. Durante a pandemia mantive os mesmos ideais, que passam por criar laços com os clientes, apostar na qualidade dos imóveis promovidos, diferenciar a marca e dinamizar as redes sociais.

As tendências de procura de imóveis apontam para uma preferência clara por imóveis com espaço exterior e, em alguns casos, mesmo fora dos grandes centros urbanos. A GG Imobiliária experienciou estas tendências?

A procura por espaços exteriores mais afastados dos centros urbanos foi claramente o principal impulsionador nas vendas durante este confinamento. A realidade de análise das pessoas mudou. No Vale Pisão Nature Resort Golf, um mercado que trabalho há cerca de quatro anos, que se caracteriza por um condomínio de moradias com piscina, rodeadas de espaços verdes, as vendas duplicaram.

Enquanto empresária, que análise faz do desconfinamento que vigora atualmente? Parece-lhe que isso poderá ter influência direta no mercado?

Ainda não estamos o tempo suficiente em desconfinamento para se notar alguma mudança. Tenho noção de que as pessoas têm novas necessidades, novos receios e hoje vivemos muito o dia a dia, porque amanhã tudo pode mudar. Sermos otimistas é talvez a grande mudança no desconfinamento.

Apesar da existência das moratórias e de alguma incerteza presente na população, como antecipa este ano, no que respeita ao crescimento da empresa?

Eu considero que o fim das moratórias pode ser um momento difícil para muitas pessoas, mas o crescimento da empresa não se baseia nestes fatores, mas sim no reconhecimento e diferenciação da marca, apostando no crescimento da mesma.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here