Amilcareis: uma empresa de confiança que aposta na transparência

Há 32 anos no mercado, a Amilcareis é uma empresa familiar dedicada ao comércio automóvel que está, atualmente, a cargo de Sandrina e Paulo Reis. Os irmãos que, com empenho, deram continuidade ao negócio dos pais não prescindem dos princípios e valores de família. A transparência e a confiança são, assim, a base da fidelização de todos os parceiros da Amilcareis. Sandrina Reis, sócia-gerente, orgulha-se de ser mulher, mãe e líder daquela que é a empresa que está há mais de três décadas a “conduzir gerações”.

0
660
Sandrina Reis, sócia-gerente

A empresa: “Sermos honestos e transparentes naquilo que fazemos”

Que balanço é possível fazer relativamente ao crescimento da Amilcareis ao longo dos últimos anos?

O meu pai sempre teve uma paixão por automóveis e, em 1989, decidiu montar esta empresa. Com os valores e princípios que ele sempre teve, a Amilcareis foi ganhando nome e, com muito trabalho, foi crescendo. Nós, os filhos, viemos dar continuidade a esse caminho.

São esses valores e princípios a base desta empresa?

Sim. O exemplo que temos dos nossos pais, e que é também aquele a que queremos dar continuidade, é o facto de transformarmos muitos dos nossos clientes em amigos. Muitas das pessoas que aparecem à nossa porta foram recomendadas por um familiar ou amigo. Além disso, apresentamo-nos sempre de forma transparente ao cliente, ou seja, aquilo que mostramos é, de facto, a realidade do produto. Isso transmite confiança e contribui para que se criem elos de ligação. Foram esses os principais valores que os nossos pais nos transmitiram: sermos honestos e transparentes naquilo que fazemos.

A Amilcareis vende automóveis novos e usados. Que garantias é que oferecem ao cliente relativamente aos veículos usados, de modo a que essa honestidade se mantenha?

Darmos a garantia de que o veículo usado que estamos a vender está 100 por cento bom é muito difícil nos dias de hoje. Temos uma oficina própria em que os carros são testados antes de serem entregues ao cliente. Contudo, um automóvel usado é sempre uma incógnita. Aquilo que garantimos é que, no pós-venda, estamos lá. Além da oficina própria, temos uma parceria com uma empresa de garantias, de modo que os nossos clientes que vivem mais longe não tenham de se deslocar até nós e possam dirigir-se a um local mais próximo da sua residência.

O setor automóvel sofreu uma diminuição de vendas em consequência da pandemia. Como é que tem sido a atividade da vossa empresa durante este período?

Quando tivemos de fechar portas, no ano passado, foi bastante diferente deste ano. Desconhecíamos o que se passava e foi muito assustador. No final de 2020, tivemos uma quebra de cerca de 25 por cento nas nossas vendas. Porém, tendo em conta tudo o que tenho visto à nossa volta, conseguimos manter o nosso barco sem grandes percalços. Este ano, com o novo fechar de portas, já tivemos uma preparação diferente. Já estávamos mais preparados para as vendas online e a quebra não foi tão grande. Os próprios negócios são, agora, mais ponderados e estamos mais contidos a nível de despesas. Ainda é tudo muito incerto e, no meio disto tudo, tentamos que as coisas continuem equilibradas.

Relativamente a esta questão do digital, que tipo de clientes recorrem ao comércio online para a compra de um veículo?

As vendas online existem, mas o cliente também se informa melhor sobre o sítio onde quer comprar. Comprar um bem destes sem o ver é, de facto, uma questão de confiança.

A oficina: “Além dos serviços de mecânica, optei também por ter o serviço de chapa e pintura”

Como disse há pouco, a Amilcareis tem uma oficina própria que foi pioneira da rede Autocrew. Como surge esta opção da vossa parte?

Antes de optarmos por abrir esta oficina, já tínhamos, nas nossas instalações, um mecânico que dava apoio aos nossos veículos de preparação. Até que, a determinada altura, eu e o meu irmão achámos que poderíamos alargar o serviço a clientes de fora. Em 2013, implementámos então esta oficina. Após algumas pesquisas, descobrimos a “AutoCrew”, que consideramos ser uma boa aposta, sendo que também tinha o nome “Bosch” associado. Comecei, assim, a montar uma equipa e, além dos serviços de mecânica, optei também por ter o serviço de chapa e pintura, abrindo-o aos clientes (seja ele cliente do stand ou não).

Que tipo de formação têm os colaboradores que trabalham nesta oficina?

A “AutoCrew” apoia-nos com duas formações anuais. Portanto, vai lançando as formações e nós vamo-nos inscrevendo consoante vamos tendo necessidade. Por exemplo, não temos serviços para carros híbridos nem elétricos, neste momento, porque nem todos os mecânicos estão preparados para a manutenção deste tipo de veículos. Todavia, relativamente à mecânica, estamos sempre a evoluir e temos sempre o apoio da própria rede.

A mulher, a empreendedora e a mãe: “É muito importante que nunca nos esqueçamos de nós enquanto mulheres”

A Sandrina é mulher, líder e empreendedora. O que é que a levou a dar continuidade a esta linha de negócio dos seus pais?

Desde muito nova, sempre fui apaixonada por números e automóveis. Acabei por ir para Lisboa tirar um curso de Gestão de Empresas. Assim, quando estava a terminar o curso, o meu pai disse que precisava de mim. Em 2003, comecei, então, a trabalhar com o meu pai. Assim que cheguei, fiz logo algumas alterações na vertente financeira. Vi coisas que considerei que poderiam ser melhoradas, de modo a trazer mais rentabilidade à empresa. Posso dizer que há uma grande responsabilidade minha naquilo que é, hoje, a gestão da empresa.

Passados 18 anos, que balanço faz desta aposta que fez?

A minha maior aprendizagem à frente da Amilcareis foi na crise de 2008. Foi um ano muito duro a nível financeiro e isso deu-me um estofo e uma aprendizagem muito grande. A nossa empresa viveu uma fase muito difícil nessa época, mas aprendi bastante. Penso que foram essas lições que eu tirei que nos têm feito flutuar nesta pandemia, ou seja, termos a capacidade de conseguir levar o nosso negócio sem grandes percalços, mesmo com as dificuldades que temos vivido neste último ano e meio.

“é fundamental nunca deixarmos aquilo em que acreditamos de parte”

Enquanto mulher, empreendedora e mãe de duas filhas, como é que gere todas estas funções? Que mensagem gostaria de deixar às mulheres que, atualmente, procuram um futuro semelhante ao da Sandrina?

Enquanto mulher, profissional e mãe, é claro que tive de ir aprendendo a gerir tudo isto. Para mim, a chave está no facto de confiarmos nas pessoas que estão a nosso lado a nível profissional. Relativamente à oficina, eu tenho um braço direito, que me tranquiliza e me permite conseguir gerir financeiramente a empresa. Temos de saber ter as pessoas certas a nosso lado. Temos de ter consciência de que não podemos estar em todo o lado ao mesmo tempo. Sendo mãe, dou muito valor ao tempo que passo com as minhas filhas. Além disso, não sou só a líder de uma empresa nem sou só mãe, também sou mulher. É muito importante que nunca nos esqueçamos de nós enquanto mulheres. Pessoalmente, para conseguir ter o meu equilíbrio, preciso de ter tempo de qualidade para mim. É fundamental colocarmo-nos em primeiro lugar, isto é, nunca deixarmos aquilo em que acreditamos de parte. É muito importante deixarmos a nossa marca sendo nós próprias.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here